PROCURANDO POR ALGO?

sexta-feira, 29 de março de 2013

POETANDO E PINTANDO

POETANDO E PINTANDO

POETANDO E PINTANDO

A Páscoa da Minha Infância


A Páscoa da Minha Infância
Maria Tomasia

Ainda guardo na lembrança
uma Páscoa só de oração.
Isso, quando eu era criança
e com a família eu ia à procissão.

Na época, nem os sinos tocavam;
ninguém executava trabalho algum.
Não se ouvia os trens apitarem
até o Sábado de Aleluia se fazia jejum.

Nos olhos do povo a tristeza emanava
diante do Senhor morto exposto.
Para Ele, Verônica triste cantava...
notava-se emoção em cada rosto.

Só no dia da Ressurreição existia alegria.
Jesus não morreu, os fiéis aclamavam;
Ele ressurgiu dos mortos, o povo dizia.
A Renovação com júbilo comemoravam.



RJ, 15/03/13

..................................................

FONTE: https://www.facebook.com/groups/142320622563162/

GRUPO: POETANDO E PINTANDO

Théo samba na cara de Lívia e deixa a vilã enfurecida: 'Você não me interessa'



O capitão discute com a bandida depois de saber que ela esteve em sua casa

26/03/13 às 08h35 - Atualizado em 26/03/13 às 08h35
Théo dá fora em Lívia  (Foto: Salve Jorge/TV Globo)Théo dá fora em Lívia (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
Na guerra com Lívia (Claudia Raia), Théo (Rodrigo Lombardi) está levando a melhor! Ele mandou bem na estratégia de conquistar e depois desprezar a bandida, e o melhor: na maior classe. Ao saber que a mafiosa esteve na casa dele, o capitão vai até o hotel atrás de uma boa briga e dá um "chega pra lá" nela. "Você não me interessa", diz ele, depois de mandar Lívia se afastar de sua família.
Wanda diz que a chefe pirou (Foto: Salve Jorge/TV Globo)Wanda acredita que a chefe pirou 
A chefona da quadrilha de traficantes tem um "piti"! Mas depois se atira para cima do capitão, dizendo que está louca por ele e que seria capaz de tudo por esse amor. Em tom debochado, o militar simplesmente sai, como se ela não significasse nada. Sapateou!
Lívia, claro, fica morta de raiva! Descompensada, a vilã atira um sapato nele, mas não acerta.
Wanda (Totia Meirelles) vê a cena e pega o sapato no chão perplexa. A comparsa acha que Lívia só pode estar louca! Não perca estas cenas, que vão ao ar sexta-feira, 29 de março. Saiba mais sobre o capítulo!


FONTE: http://tvg.globo.com/novelas/salve-jorge/Vem-por-ai/noticia/2013/03/theo-samba-na-cara-de-livia-e-deixa-a-vila-enfurecida-voce-nao-me-interessa.html

Alegria, alegria! Lucimar conta para todos no Alemão que Morena não morreu


A avó garante a Junior que a mãe dele vai voltar

29/03/13 às 13h14 - Atualizado em 29/03/13 às 14h54
É festa no Alemão! Lucimar (Dira Paes) chega toda sorridente e os vizinhos ficam até espantados. Mas a mãe de Morena(Nanda Costa) estufa o peito e diz em alto e bom som, para todo mundo ouvir, que a filha está viva! E que o exame que fizeram no corpo que estava na Turquia deu negativo.
Quando entra em casa, Lucimar vai logo chamando por Junior (Luiz Felipe Mello) e garante que a mãe dele vai voltar. “Ela está viva! E tu vai ver ela! Vai ver e não é no sonho, não, vai agarrar assim, vai tocar, vai abraçar que nem eu estou te abraçando agora”, conta ela, emocionada.
Dá para imaginar a felicidade do menino quando Morena voltar? Fique ligado em Salve Jorge! Estas cenas vão ao ar sexta-feira, 29 de março. Saiba mais sobre o capítulo!


FONTE: http://tvg.globo.com/novelas/salve-jorge/Vem-por-ai/noticia/2013/03/alegria-alegria-lucimar-conta-para-todos-no-alemao-que-morena-nao-morreu.html

ESSA É CAMPEÃ imagine no Enem

COPIA DE PROVA EM ESCOLA MUNICIPAL



Futuro promissor como Deputado ou Senador da República........dentre outros cargos.





FONTE: https://groups.google.com/forum/?fromgroups=#!topic/turmadobafometro/bnmaloSWr60

...SEXTA FEIRA DA PAIXÃO..



 
 
Sexta Feira da Paixão
de Rose Arouck
 
Sob o peso da cruz Ele caminha, ombros curvados,
rumo ao  porto final em Seu calvário.
Tendo a força dizimada pelos pés dilacerados
marcha lento sob o chicote dos soldados.
 
Tropeça aniquilado pelo esforço que produz,
sob os gritos que O condena, do povo barulhento,
Segue tombando pelo peso da imensa cruz...
 O ajuda Simão Cirineu que o alivia no momento.
.
E segue o cortejo que se arrasta até Gólgota... 
À frente daquela sinistra procissão, o Centurião,
que proclama com voz áspera sem revolta...
O motivo (sem razão) daquela fatal condenação.
 
Pobre Jesus! Após ter sido cruelmente flagelado,
Com suor de sangue pelo seu rosto humilhado,
Caminha, o Inocente, com dois bandidos do lado;
ao sacrifício pra nos salvar do pecado.
 


fonte: https://groups.google.com/forum/?fromgroups=#!topic/piadolandia/y4vMqM9V2DE

...SEXTA FEIRA DA PAIXÃO..



 
 
Sexta Feira da Paixão
de Rose Arouck
 
Sob o peso da cruz Ele caminha, ombros curvados,
rumo ao  porto final em Seu calvário.
Tendo a força dizimada pelos pés dilacerados
marcha lento sob o chicote dos soldados.
 
Tropeça aniquilado pelo esforço que produz,
sob os gritos que O condena, do povo barulhento,
Segue tombando pelo peso da imensa cruz...
 O ajuda Simão Cirineu que o alivia no momento.
.
E segue o cortejo que se arrasta até Gólgota... 
À frente daquela sinistra procissão, o Centurião,
que proclama com voz áspera sem revolta...
O motivo (sem razão) daquela fatal condenação.
 
Pobre Jesus! Após ter sido cruelmente flagelado,
Com suor de sangue pelo seu rosto humilhado,
Caminha, o Inocente, com dois bandidos do lado;
ao sacrifício pra nos salvar do pecado.
 


fonte: https://groups.google.com/forum/?fromgroups=#!topic/piadolandia/y4vMqM9V2DE

HORA DO RISO


Está o padre a rezar a missa, e no seu discurso final exclama:
– Deus fez o homem à sua imagem e semelhança!
Nisto levanta-se um anão lá no fundo e diz:
– E comigo, o que é que ele fez? Uma experiência?

ESPECIAL SEXTA-FEIRA SANTA


ESPECIAL 
 SEXTA-FEIRA SANTA
 NA SEXTA-FEIRA SANTA CELEBRAMOS A PAIXÃO DO SENHOR!.
(Dia de Jejum e Abstinência)
A Sexta-feira Santa é para o povo cristão dia de penitência e até de tristeza.
Entretanto, a Sexta-feira Santa não é considerada pela liturgia como dia de luto e de pranto, mas dia de amorosa contemplação do sacrifício cruento de Jesus, fonte da nossa salvação. Hoje, a Igreja não faz um funeral, mas celebra a morte vitoriosa do Senhor. Por isso, fala de "bem-aventurada" e "gloriosa paixão".
Nestas Sexta-feira Santa, celebramos a morte de Jesus como passagem necessária para a ressurreição; é uma lembrança cheia de esperança e da certeza da vitória.É um dia centrado na cruz, não com ar de tristeza, mas de comemoração, uma vez que Cristo Jesus, como Sumo Sacerdote, em nome de toda a humanidade se entregou voluntariamente à morte  para salvar a todos nós.
No dia de hoje, não há Missa em  nenhuma Igreja. O Ato Litúrgico principal da sexta-feira é a celebração da Paixão do Senhor, à tarde. É uma cerimônia simples e silenciosa, durante a qual se propõe a meditação dos fiéis a Paixão do Senhor , proclamada com solenidade toda particular.
As leituras desse dia mostram a coragem com que Cristo enfrenta a dor e a morte. No fim, faz-se o oração pelas necessidades materiais e espirituais de toda a humanidade.
Após a Oração Universal, o sacerdote convida para a veneração à Santa Cruz, que simboliza a Paixão de Cristo e seu amor infinito por nós.
Terminada a adoração da cruz, reza-se o Pai Nosso como preparação para a Comunhão. Como nesse dia não há propriamente missa, as sagradas partículas distribuídas no momento da comunhão são trazidas do altar da reposição ou altar do Santíssimo , onde foram consagradas durante a Missa da Quinta-feira Santa.
Após a Comunhão, termina a cerimônia desse dia, cada um  tem a oportunidade de se unir intimamente ao Senhor que deu a vida por nós.
A LOUCURA DE AMOR POR NÓS!
Nossos sofrimentos não se aproximam do que Jesus sofreu por nós.
Paulo diz que por maiores que sejam nossos sofrimentos, nunca chegaremos ao que Jesus sofreu, ao morrer por nós. Paulo foi o primeiro a compreender que é justamente na cruz que se manifesta a imensidão do amor de Deus. De fato, quem ama muito  uma pessoa é capaz de dar a própria vida por ela. Uma mãe vê um filho doente, sofrendo dores, ou às portas da morte, e anseia por assumir aquela doença, ou até morrer em lugar do filho, a fim de salvá-lo. Não foi isso que Jesus fez por nós?
Pode-se dizer que Deus provou seu amor e sua solidariedade, passando por tudo o que nós passamos: a dor e a morte. Isso é como se Jesus dissesse a cada ser humano: "Eu entendo você. Estou com você pra tudo. Eu sei o quanto você está sofrendo, porque eu também passei por isso." Se ele não tivesse sofrido, como poderia consolar-nos na dor?
Se Deus Pai não tivesse visto seu Filho amado morrer na Cruz, como poderia consolar o coração de  um pai, de uma mãe que perde seu filho, uma filha? Ao passar pela mesma experiência, Deus pode dizer a quem perde um ser amado: "Eu estou com você, estou ao seu lado, entendo sua dor, porque eu também vi meu filho morrer a pior morte, a mais dolorosa, a mais humilhante morte que poderia existir".
Essa é a loucura da Cruz, de que fala o Apóstolo Paulo. Uma pessoa apaixonada faz qualquer loucura e não mede sacrifícios e riscos, para agradar o ser amado. É o que Deus faz por nós.

----------------------------------- 


LITURGIA DIÁRIA

 Celebração da Paixão
do Senhor!!!

1ª Parte: 

Liturgia da Palavra

Comentário Inicial da Cerimônia da Paixão do Senhor:
Irmãos e irmãs, Jesus abraçou a cruz por fidelidade à missão que o Pai lhe confiou. Nesta celebração unimo-nos a Jesus, servo sofredor, e acompanhamos seus passos rumo à morte. O despojamento e o silêncio dão o tom da celebração, que consta de três partes:
1.     Liturgia da Palavra (incluindo-se a Oração Universal)
2.     Apresentação e Adoração da Cruz
3.     A Comunhão

Primeira leitura (Isaías 52,13—53,12)


Livro do Profeta Isaías: 

13Ei-lo, o meu Servo será bem-sucedido; sua ascensão será ao mais alto grau. 14Assim como muitos ficaram pasmados ao vê-lo — tão desfigurado ele estava que não parecia ser um homem ou ter aspecto humano —, 15do mesmo modo ele espalhará sua fama entre os povos. Diante dele os reis se manterão em silêncio, vendo algo que nunca lhes foi narrado e conhecendo coisas que jamais ouviram.
53,1Quem de nós deu crédito ao que ouvimos? E a quem foi dado reconhecer a força do Senhor? 2Diante do Senhor ele cresceu como renovo de planta ou como raiz em terra seca. Não tinha beleza nem atrativo para o olharmos, não tinha aparência que nos agradasse.
3Era desprezado como o último dos mortais, homem coberto de dores, cheio de sofrimentos; passando por ele, tapávamos o rosto; tão desprezível era, não fazíamos caso dele.
4A verdade é que ele tomava sobre si nossas enfermidades e sofria, ele mesmo, nossas dores; e nós pensávamos fosse um chagado, golpeado por Deus e humilhado!
5Mas ele foi ferido por causa de nossos pecados, esmagado por causa de nossos crimes; a punição a ele imposta era o preço da nossa paz, e suas feridas, o preço da nossa cura.
6Todos nós vagávamos como ovelhas desgarradas, cada qual seguindo seu caminho; e o Senhor fez recair sobre ele o pecado de todos nós.
7Foi maltratado, e submeteu-se, não abriu a boca; como cordeiro levado ao matadouro ou como ovelha diante dos que a tosquiam, ele não abriu a boca.
8Foi atormentado pela angústia e foi condenado. Quem se preocuparia com sua história de origem? Ele foi eliminado do mundo dos vivos; e por causa do pecado do meu povo foi golpeado até morrer. 9Deram-lhe sepultura entre ímpios, um túmulo entre os ricos, porque ele não praticou o mal nem se encontrou falsidade em suas palavras.
10O Senhor quis macerá-lo com sofrimentos. Oferecendo sua vida em expiação, ele terá descendência duradoura, e fará cumprir com êxito a vontade do Senhor.
11Por esta vida de sofrimento, alcançará luz e uma ciência perfeita. Meu Servo, o justo, fará justos inúmeros homens, carregando sobre si suas culpas.
12Por isso, compartilharei com ele multidões e ele repartirá suas riquezas com os valentes seguidores, pois entregou o corpo à morte, sendo contado como um malfeitor; ele, na verdade, resgatava o pecado de todos e intercedia em favor dos pecadores.


- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

-----------------------------------------------------


Salmo (Salmos 30)




Sexta-Feira, 2 de Abril de 2010
Paixão do Senhor


— Ó Pai, em tuas mãos eu entrego o meu espírito.— Ó Pai, em tuas mãos eu entrego o meu espírito.

— Senhor, eu ponho em vós minha esperança;/ que eu não fique envergonhado eternamente!/ Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito,/ porque vós me salvareis, ó Deus fiel!
— Tornei-me o opróbrio do inimigo,/ o desprezo e zombaria dos vizinhos,/ e objeto de pavor para os amigos;/ fogem de mim os que me vêem pela rua./ Os corações me esqueceram como um morto,/ e tornei-me como um vaso espedaçado!
— A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio,/ e afirmo que só vós sois o meu Deus!/ Eu entrego em vossas mãos o meu destino;/ libertai-me do inimigo e do opressor!
— Mostrai serena a vossa face ao vosso servo,/ e salvai-me pela vossa compaixão!/ Fortalecei os corações, tende coragem,/ todos vós que ao Senhor vos confiais! 

---------------------------------------------------------


Segunda leitura (Hebreus 4,14-16; 5,7-9)


Sexta-Feira, 2 de Abril de 2010

Paixão do Senhor


Carta aos Hebreus:

Irmãos: 14Temos um sumo sacerdote eminente, que entrou no céu, Jesus, o Filho de Deus. Por isso, permaneçamos firmes na fé que professamos.
15Com efeito, temos um sumo sacerdote capaz de se compadecer de nossas fraquezas, pois ele mesmo foi provado em tudo como nós, com exceção do pecado. 16Aproximemo-nos então, com toda a confiança, do trono da graça, para conseguirmos misericórdia e alcançarmos a graça de um auxílio no momento oportuno.
5,7Cristo, nos dias de sua vida terrestre, dirigiu preces e súplicas, com forte clamor e lágrimas, àquele que era capaz de salvá-lo da morte. E foi atendido, por causa de sua entrega a Deus. 8Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência a Deus, por aquilo que ele sofreu. 9Mas, na consumação de sua vida, tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus. 

---------------------------------------------


EVANGELHO 


Jesus é condenado à morte 

Jo 19,1-42 (forma abreviada)

ou Jo 18,1-19-42 

Aí Pilatos mandou chicotear Jesus. Depois os soldados fizeram uma coroa de ramos cheios de espinhos, e a puseram na cabeça dele, e o vestiram com uma capa vermelha. Chegavam perto dele e diziam: 
- Viva o rei dos judeus! 
 
E davam bofetadas nele. Aí Pilatos saiu outra vez e disse para a multidão: 
- Escutem! Vou trazer o homem aqui para que vocês saibam que não encontro nenhum motivo para condená-lo! 
 
Então Jesus saiu com a coroa de espinhos na cabeça e vestido com a capa vermelha. 
- Vejam! Aqui está o homem! - disse Pilatos. 
Quando os chefes dos sacerdotes e os guardas do Templo viram Jesus, começaram a gritar: 
- Crucifica! Crucifica! 
 
- Vocês que o levem e o crucifiquem! Eu não encontro nenhum motivo para condenar este homem! - repetiu Pilatos. 
A multidão respondeu: 
- Nós temos uma Lei, e ela diz que este homem deve morrer porque afirma que é o Filho de Deus. 
 
Quando Pilatos ouviu isso, ficou com mais medo ainda. Entrou outra vez no palácio e perguntou a Jesus: 
- De onde você é? 
Mas Jesus não respondeu nada. Então Pilatos disse: 
- Você não quer falar comigo? Lembre que eu tenho autoridade tanto para soltá-lo como para mandar crucificá-lo. 
Jesus respondeu: 
 
- O senhor só tem autoridade sobre mim porque ela lhe foi dada por Deus. Por isso aquele que me entregou ao senhor é culpado de um pecado maior. 
Depois disso Pilatos quis soltar Jesus. Mas a multidão gritou: 
- Se o senhor soltar esse homem, não é amigo do Imperador! Pois quem diz que é rei é inimigo do Imperador! 
 
Quando Pilatos ouviu isso, trouxe Jesus para fora e sentou-se no tribunal, no lugar chamado "Calçada de Pedra". (Em hebraico o nome desse lugar é "Gabatá".) Era quase meio-dia da véspera da Páscoa. Pilatos disse para a multidão: 
 
- Aqui está o rei de vocês! 
Mas eles gritaram: 
- Mata! Mata! Crucifica! 
Então Pilatos perguntou: 
 
- Querem que eu crucifique o rei de vocês? 
Mas os chefes dos sacerdotes responderam: 
- O nosso único rei é o Imperador! 
Então Pilatos entregou Jesus aos soldados para ser crucificado, e eles o levaram. 
Jesus saiu carregando ele mesmo a cruz para o lugar chamado Calvário. (Em hebraico o nome desse lugar é "Gólgota".) 
 
Ali os soldados pregaram Jesus na cruz. E crucificaram também outros dois homens, um de cada lado dele. - Pilatos mandou escrever um letreiro e colocá-lo na parte de cima da cruz. Nesse letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego: "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus". Muitas pessoas leram o letreiro porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. Então os chefes dos sacerdotes disseram a Pilatos: 
- Não escreva: "Rei dos Judeus"; escreva: "Este homem disse: Eu sou o Rei dos Judeus". 
 
- O que escrevi escrevi! - respondeu Pilatos. 
Depois que os soldados crucificaram Jesus, pegaram as roupas dele e dividiram em quatro partes, uma para cada um. Mas a túnica era sem costura, toda tecida numa só peça de alto a baixo. Por isso os soldados disseram uns aos outros: 
 
- Não vamos rasgar a túnica. Vamos tirar a sorte para ver quem fica com ela. 
Isso aconteceu para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem: 
"Repartiram entre si as minhas roupas e fizeram sorteio da minha túnica." 
E foi isso o que os soldados fizeram. 
Perto da cruz de Jesus estavam a sua mãe, e a irmã dela, e Maria, a esposa de Clopas, e também Maria Madalena. Quando Jesus viu a sua mãe e perto dela o discípulo que ele amava, disse a ela: 
- Este é o seu filho. 
 
Em seguida disse a ele: 
- Esta é a sua mãe. 
E esse discípulo levou a mãe de Jesus para morar dali em diante na casa dele. 
Agora Jesus sabia que tudo estava completado. Então, para que se cumprisse o que dizem as Escrituras Sagradas, disse: 
- Estou com sede! 
 
Havia ali uma vasilha cheia de vinho comum. Molharam no vinho uma esponja, puseram a esponja num bastão de hissopo e a encostaram na boca de Jesus. Quando ele tomou o vinho, disse: 
- Tudo está completado! 
Então baixou a cabeça e morreu. 
 
Um soldado fura o lado de Jesus 
Então os líderes judeus pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas dos que tinham sido crucificados e mandasse tirá-los das cruzes. Pediram isso porque era sexta-feira e não queriam que, no sábado, os corpos ainda estivessem nas cruzes. E aquele sábado era especialmente santo. Os soldados foram e quebraram as pernas do primeiro homem que tinha sido crucificado com Jesus e depois quebraram as pernas do outro. Mas, quando chegaram perto de Jesus, viram que ele já estava morto e não quebraram as suas pernas. Porém um dos soldados furou o lado de Jesus com uma lança. No mesmo instante saiu sangue e água. 
 
Quem viu isso contou o que aconteceu para que vocês também creiam. O que ele disse é verdade, e ele sabe que fala a verdade. Isso aconteceu para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem: "Nenhum dos seus ossos será quebrado." E em outro lugar as Escrituras Sagradas dizem: "Eles olharão para aquele a quem atravessaram com a lança." 
 
Depois disso, José, da cidade de Arimatéia, pediu licença a Pilatos para levar o corpo de Jesus. (José era seguidor de Jesus, mas em segredo porque tinha medo dos líderes judeus.) Pilatos deu licença, e José foi e retirou o corpo de Jesus. Nicodemos, aquele que tinha ido falar com Jesus à noite, foi com José, levando uns trinta e cinco quilos de uma mistura de aloés e mirra. Os dois homens pegaram o corpo de Jesus e o enrolaram em lençóis nos quais haviam espalhado essa mistura. Era assim que os judeus preparavam os corpos dos mortos para serem sepultados. 
 
No lugar onde Jesus tinha sido crucificado havia um jardim com um túmulo novo onde ninguém ainda tinha sido colocado. Puseram ali o corpo de Jesus porque o túmulo ficava perto e também porque o sábado dos judeus ia começar logo. 
- Palavra da Salvação.
- Glória a Vós, Senhor!!! 
 


Explicação do Evangelho 

Paixão e Cruz de Cristo

PADRE PACHECO


A sexta-feira santa é um dia fundado liturgicamente em torno da paixão do Senhor e da sua morte na cruz. Hoje cumpre-se o repetido anúncio de Jesus nos evangelhos sobre a sua morte violenta em Jerusalém. A pergunta é óbvia: por que tinha que ser assim? A resposta mais profunda e válida somente Deus pode dá-la, pois pisamos o terreno insondável da vontade divina e do seu projeto eterno de redenção realizado em Cristo.

Nem Deus Pai nem mesmo Jesus quiseram o sofrimento, a paixão dolorosa e a morte violenta por si mesmas, pois são realidades negativas por si só. A valia da dor, paixão e morte de Cristo radica no significado que recebem de uma finalidade superior: a salvação do homem, a quem Deus ama. Verdade central da nossa fé: tanto amou Deus o mundo que entregou o seu próprio Filho.

Jesus, não obstante, aceita o plano do Pai: não se faça a minha vontade, mas a tua. Este é o motivo e a razão da obediência de Cristo: o querer do Pai, que é a salvação do homem pelo amor que lhe tem. Jesus carrega com a cruz da sua paixão por fidelidade ao Pai e por amor ao homem, isto é, por solidariedade com os seus irmãos. O motivo parece duplo, mas no fundo é único, porque a vontade do Pai é o amor e a salvação do homem.

“Por nós e por nossa salvação”, como dizemos no credo, é a razão teológica que a nossa fé nos descobre para explicar e entender toda a vida de Jesus desde a encarnação à sua paixão, morte e ressurreição. A segunda leitura de hoje afirma: “Cristo, apesar de ser filho, aprendeu, sofrendo, a obedecer. E levado à perfeição, converteu-se para todos os que lhe obedecem em princípio de salvação eterna”.

O mistério da cruz na vida de Jesus – e, portanto, também na nossa – é revelação máxima de amor, pois não há modo mais verídico de expressar o amor do que dar a vida por aqueles a quem se ama. Pois bem, o poema sublime do amor que é a vida, paixão e morte de Cristo pede de nós uma resposta também de amor. “Nós amamos a Deus porque ele nos amor primeiro. Mas se alguém diz: eu amo a Deus, mas odeia o seu irmão, é um mentiroso, pois quem não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.

Acreditamos e dizemos que a cruz é o sinal do cristão não por masoquismo espiritual, mas porque a cruz é fonte de vida e de libertação total, como sinal que é do amor de Deus ao homem por meio de Jesus Cristo. O amor que testemunha a sua cruz é a única força capaz de mudar o mundo, se nós que nos dizemos seus discípulos seguirmos seu exemplo.

Jesus poderia ter-nos salvo com triunfo, poder e glória; isto é, a partir de fora, como um super-homem. Mas preferiu fazer a partir de dentro da nossa condição humana; ser mais um, demonstrando-o à base de humildade, serviço, obediência e renúncia, em vez de se impor pela categoria e pelo poder. Este segundo é o nosso estilo. Mas Cristo não veio para que o servissem, mas para servir; por isso, renunciando à alegria imediata, suportou a cruz e a ignomínia.

O Senhor convida-nos a segui-lo na autonegação que nos liberta, abraçando a cruz de cada dia, sempre presente de uma outra forma, e da qual inutilmente tentaremos escapar. Saber sofrer por amor é grande sabedoria. O que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas o que perder a sua vida por minha causa, salvá-la-á, disse Cristo. O segredo da cruz de Jesus é o amor, e a única maneira de a entender e convertê-la em fonte de vida é amar generosamente Deus e os irmãos.
Padre Pacheco,
Comunidade Canção Nova.
--------------------------------------------------------


ORAÇÃO UNIVERSAL

Reza-se :
Pela Santa Igreja
Pelo Papa
Por todas as ordens e por todos os fiéis
Pelos Catecúmenos
Pela Unidade dos Cristãos
Pelos Judeus
Pelos que não creem em cristo
Pelos que não creem em Deus
Pelos Poderes Públicos
Por todos que sofrem provações

---------------------------------------------------------------------


 2ª Parte


Adoração da Cruz


Terminada  a Oração Universal, faz-se adoração da Santa Cruz.
Lembremos que não adoramos o objeto material – a cruz -, mas Cristo que a venceu. Honrando sua cruz, agradecemos a Cristo seu amor por nós.
Devemos notar que a expressão “Adoração da Cruz” ode ser ambígua, se não for explicada; de fato, adoramos a pessoa de Cristo crucificado e o mistério que esta morte significa para nós. ( O celebrante, com certeza, explicará essa expressão: adoração da cruz).



Terceira Parte - Comunhão

Embora não haja celebração eucarística, os fiéis podem comungar das hóstias consagradas na missa da Quinta-feira Santa.
Mesmo que seja feita fora da missa, a comunhão é intima união com Cristo que se oferece por nós em sacrifício ao Pai
FELIZ SEXTA_FEIRA SANTA


FONTE: http://lusmarpazleite.blogspot.com.br/

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK