PROCURANDO POR ALGO?

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Comportamentos que enfraquecem nossa energia

Nova publicação em Universo Natural

Comportamentos que enfraquecem nossa energia

by José Batista de Carvalho
Comportamentos que enfraquecem nossa energia1. Pensamentos obsessivos
Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.
2. Sentimentos tóxicos
Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energias e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.
3. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo
Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.
4. Fugir do presente - As energias são colocadas onde a atenção é focada.
O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: "bons tempos aqueles!", costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.
5. Falta de perdão
Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e a si mesmo, fica "energeticamente obeso", carregando fardos passados.
6. Mentira pessoal
Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.
7. Viver a vida do outro
Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.
8. Bagunça e projetos inacabados
A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro "escape" de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe "diz" inconscientemente: "você não me terminou! Você não me terminou!" Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do autoconhecimento, da disciplina e da determinação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.
9. Afastamento da natureza
A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.
José Batista de Carvalho | 19/07/2013 às 14:34 

HORA DO RISO: Seja Feita a Minha Vontade

Aquela senhora leva uma reluzente Ferrari à um colecionador.
Depois de inspecionar o carro durante uma boa meia-hora, o colecionador vira-se para a mulher e diz:
- O carro está ótimo! Quanto a senhora está pedindo por ele?
- Cem Reais! - responde a mulher em alto e bom som.
- Cem mil Reais, a senhora quer dizer?
- Não, senhor! São cem Reais mesmo!
- Mas isso é um absurdo! - espanta-se o colecionador. - Esse carro vale no mínimo noventa mil.
.- Estou apenas cumprindo a vontade do meu falecido marido.
- Eu não posso acreditar no que estou ouvindo! Ele pediu que a senhora vendesse o carro por cem Reais?
- Mais ou menos. Leia aqui no testamento. Parágrafo 16.
O sujeito apanhou o papel que ela lhe entregou e leu: "Vender a minha Ferrari e doar a quantia resultante da venda à minha fidelíssima secretária Suzana de Oliveira".

Leia Mais!

FONTE:
http://humortadela.bol.uol.com.br/piadas-texto/24544

Senta aí que lá vem receita


Esta uma ótima safra de abacaxis ..aqui tenho encontrado de todos os tipos ..tinha um aqui na minha fruteira dando sopa ..ja tratei de pegar ele de jeito e bolar algo..pensei em uma mousse .mas como tinha chantily na geladeira logo pensei ..e porque não uma torta gelada ????..sim colega saiu uma torta divina e maravilhosa .Bora conferir a receita ??? então vamos lá colega 
esta sobremesa vale muito a pena fazer neste final de semana ....


Torta Gelada de abacaxi Saborama 

para o creme :  400ml de creme de leite fresco .
1 pacotinho de gelatina sem sabor incolor 
1/2 xicara se açucar 
4 rodelas de abacaxi bem grossa e doce .
1 pote de iogurte grego natural
6 colheres de sopa de água ( 3 mornas e 3 frias )
2 colheres de sopa de saborizador de sorvetes Saborama no sabor abacaxi
1 gelatina de abacaxi 

calda :

4 rodelas de abacaxi
1/2 xicara de chá de açucar 
gotas de limão 
1 colher de café de corante liquido Mago.

Massa 

1 pacote de biscoito de leite triturado
2 colheres de sopa de manteiga gelada Mococa com Sal 
2 colheres de sopa de xerem de castanha de caju
4 colheres de sopa de açucar .


Modo de fazer a massa ;

misture todos os ingredientes e coloque em uma forma com alças removiveis ..e leve para assar ...até levemente dourar .reserve para esfriar .

Modo de preparo do creme :

hidrate a gelatina sem sabor e coloque no liquidificador ,,,coloque o abacaxi em pedaços ...o açucar .o iogurte o creme de leite fresco e o saborizador e bata bem....Coloque e cima da massa ja assada e fria ...leve para gelar ...Prepare a gelatina conforme a embalagem só que com metade da água indicada .coloque por cima da torta depois que ela esteja á uma hora na geladeira .
Leve para gelar ...

Modo de fazer a calda ..

pique o abacaxi ,coloque o açucar e o limão ..e deixe virar uma calda ralinha mesmo...coloque o corante para dar uma corzinha .espere esfirar e sirva por cima da torta gelada ...

esta torta tem varios pap mas é super pratica de fazer ...e muiti gostosa rende 9 pedaços grandes .

Agradeço de todo coração á toda equipe saborama que me manda sempre seus produtos e que tem uma extrema qualidade ...produtos maravilhosos que adoçam a minha vida ..e deixam ela com muito mais sabor e aquele gostinho de quero mais .E gostaria de agradecer a Mago que sempre me envia produtos de maxima qualidade .

Quebrar o cú


Todos vocês já ouviram esta expressão, mas nunca souberam o que era realmente, eu mostro pra vocês, é isto…
quebrou o cú

Na boa, não tenho dó nenhuma, foi pouco!

fonte:
www.blogdocaipira.com



PÉ DE OURO AO VIVO EM ARACOIABA

PÉ DE OURO AO VIVO EM ARACOIABA - 18.JUL.2013

Local da gravação: ARACOIABA

Tamanho do arquivo: 124,41 MB
Enviado em: 19/07/2013 [09:22:39]
Downloads: 189
Extras: OficilPeDeOuro Sigam nas redes sociais.











CLIQUE AQUI E BAIXE RAPIDINHO:

FONTE:
http://www.suamusica.com.br/#!/ShowDetalhes.php?id=159241&pé-de-ouro-aovivo-em-aracoiaba--18.jul.2013.html

VARIEDADES1.COM


Os espermatozoides são muito desiguais. Na escola, aprendemos que, numa ejaculação humana, são expulsos de 200 milhões a 500 milhões deles e que todos nadam alucinados atrás do óvulo: ao vencedor, a glória da fecundação.

Parece que não é tão simples: os espermatozoides trabalham em conjunto, cada qual com uma função definida, como se fossem um exército de guerreiros disciplinados. No curso da evolução, foram obrigados a adotar essa estratégia para vencer as barreiras impostas pela anatomia sexual feminina.

A vagina humana é um lugar inóspito para eles. Sua superfície é forrada por colônias de lactobacilos que secretam ácido para defendê-la dos germes que penetram. O líquido que a lubrifica é rico em enzimas, anticorpos e glóbulos brancos dispostos a destruir invasores: bactérias, vírus, fungos ou células de outra pessoa; espermatozoides, inclusive.

Os poucos espermatozoides que conseguem sobreviver nesse ambiente ácido ainda precisarão vencer muitas barreiras para chegar ao óvulo. A pior, talvez, esteja na entrada do útero.

Na parte inferior, o útero se estreita num canal mais fino, chamado colo ou cérvix. O colo se abre na vagina por um pequeno orifício revestido por glândulas, que produzem um muco espesso para vedá-lo e impedir a entrada de germes.

Esse muco é empurrado para dentro do útero pelos movimentos delicados de um tapete de microcílios que revestem as paredes do colo. Nesse movimento ciliar, filetes do muco espesso são levados para cima, formando colunas muito próximas umas das outras. Como consequência, para penetrar, o espermatozoide é obrigado a espremer-se nos microcanais deixados entre as hastes de muco. Um espermatozoide mede três micra, e os canais, de três a cinco, na fase de permeabilidade máxima (ovulatória).

O trajeto pelos canais é não só labiríntico como cheio de perigos: ao invadir o muco, os espermatozoides são atacados por legiões de glóbulos brancos hostis, três vezes mais numerosos do que eles.

Na ânsia de escapar dos atacantes e abrir caminho entre os canais, os espermatozóides fazem desabar algumas das hastes de muco, ocluindo passagens e dificultando a penetração dos que vêm atrás na corrida. Estruturalmente, os espermatozoides são verdadeiros mísseis carregados de genes. São formados por uma cabeça, que traz o pacote de genes do pai, e uma cauda para nadar.

No microscópio, parecem todos iguais, mas, se olharmos com atenção, veremos que têm formatos diversos: alguns possuem cabeça pequena e cauda comprida; outros têm cabeça oval, dupla, em forma flecha, de alfinete, de remo e de charuto e a cauda reta, enrolada, dupla, curta, longa, etc., numa combinação infinita de formas.

Em 1980, J. Sivinski publicou, numa obscura revista científica da Flórida, um estudo sobre o papel do esperma na seleção sexual de insetos. Nele, pela primeira vez, surgiu a ideia de que os espermatozoides de um indivíduo competem brutalmente para evitar que o óvulo seja fecundado por espermatozoides alheios. Quatro anos mais tarde, R. Silberglied confirmou a existência dessa competição mortal entre espermatozóides de borboletas.

Em 1988, dois autores americanos, R. Baker e M. Bellis, elaboraram a “hipótese camicase”. Segundo ela, o esperma carrega milhões de espermatozoides prontos a declarar guerra contra os estranhos que encontrarem pelo caminho. Essa vocação bélica do esperma é encontrada em todos os machos do reino animal, sem exceção.

De acordo com a hipótese, existiriam três grandes grupos de espermatozoides em cada ejaculação:

1) pelotão de elite: seleto grupo de nadadores imbatíveis na velocidade. Armazenam a energia necessária para o percurso em corpúsculos situados na cabeça comprida e têm cauda longa e ágil. São poucos: cerca de 1% dos milhões ejaculados;

2) bloqueadores: têm cabeça grande e cauda pequena. Nadam devagar; não são páreo para o pelotão que dispara na frente. Nem vão atrás do óvulo; são “camicases”: ao penetrar os canais do muco uterino, agarram-se às paredes para obstruir a passagem dos que vêm atrás, sejam eles do mesmo macho ou de outro qualquer. A função bloqueadora ocupa cerca de 50% dos espermatozoides;

3) matadores: carregam enzimas tóxicas na cabeça e possuem antenas capazes de detectar e reconhecer espermatozoides estranhos. Quando os encontram, despejam neles suas enzimas mortais. Como os adversários reagem com as mesmas armas, espermas de indivíduos diferentes se envolvem numa luta de vida ou morte. Bons “matadores camicases” foram tão necessários para a sobrevivência das espécies que constituem praticamente a outra metade da população do esperma.

Para complicar, matadores, bloqueadores e nadadores não são todos iguais. Quanto mais árduo o percurso a ser percorrido no trato genital feminino, mais eles se especializam em determinada função a ser exercida num ponto específico do trajeto que conduz ao óvulo.

Disfarçada ou não, a estratégia reprodutiva mais empregada pelas fêmeas no decorrer da evolução das espécies tem sido a de promover a competição entre espermas de indivíduos diferentes. Que vença o mais apto é o que deseja o corpo feminino.

Nós, como todos os animais, somos descendentes de antepassados portadores de espermatozóides guerreiros que venceram incontáveis batalhas. Os perdedores desapareceram da face da Terra, no melhor estilo de competição e seleção natural.
VEJA O VÍDEO - A LUTA PELA VIDA DOS ESPERMATOZOIDES

Guitarra clássica - (no Brasil conhecida como violão e em Portugal como viola) é uma guitarra acústica com cordas de nylon ou aço, concebida inicialmente para a interpretação de peças de música erudita. O corpo é oco e chato, em forma de oito , e feito de várias madeiras diferentes. O braço possui trastes que a tornam um instrumento temperado. As versões mais comuns possuem seis cordas de nylon, mas há violões com outras configurações, como o violão de sete cordas e o violão baixo, com 4 cordas, afinadas uma oitava abaixo das 4 cordas mais graves do violão.
ISSO É TOCAR VIOLÃO!!!

Renato Russo nome artístico de Renato Manfredini Júnior (Rio de Janeiro, 27 de março de 1960 — Rio de Janeiro, 11 de outubro de 1996) foi um cantor e compositor brasileiro, célebre por ter sido o vocalista e fundador da banda de rock Legião Urbana. Antes de fundar o grupo, Renato integrou o grupo musical Aborto Elétrico, do qual saiu devido às constantes brigas que havia entre ele e o baterista Fê Lemos.
Renato morreu devido as complicações causadas pela AIDS em 11 de outubro de 1996, na época com 36 anos. Amigos do cantor afirmam que o mesmo contraiu a doença após se envolver com um rapaz que conhecera em Nova Iorque, portador da doença, em 1989. Como integrante da Legião Urbana, Russo lançou oito álbuns de estúdio, cinco álbuns ao vivo, alguns lançados postumamente, e diversos singles, escritos em sua maioria pelo próprio. Gravou ainda três discos solo e cantou ao lado de Herbert Vianna, Adriana Calcanhoto, Cássia Eller, Paulo Ricardo, Erasmo Carlos, Leila Pinheiro, Biquini Cavadão, 14 Bis e Plebe Rude.
Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, onde Renato Russo ocupa o 25°. lugar.
HD LEGIÃO URBANA HOJE A NOITE NÃO TEM LUAR

Nascido em uma família de longa tradição musical, cedo mostrou possuir talento e logo tornou-se um músico completo. Estudante incansável, adquiriu um vasto conhecimento da música europeia de sua época e das gerações anteriores. Desempenhou vários cargos em cortes e igrejas alemãs, mas suas funções mais destacadas foram a de Cantor da Igreja de São Tomás e Diretor Musical da cidade de Leipzig, onde desenvolveu a parte final e mais importante de sua carreira. Absorvendo inicialmente o grande repertório de música contrapontística germânica como base de seu estilo, recebeu mais tarde a influência italiana e francesa, através das quais sua obra se enriqueceu e transformou, realizando uma síntese original de uma multiplicidade de tendências. Praticou quase todos os gêneros musicais conhecidos em seu tempo, com a notável exceção da ópera, embora suas cantatas maduras revelem bastante influência desta que foi uma das formas mais populares do período Barroco.
SÓ OS MELHORES TOCAM BACH NO VIOLÃO

TENHO PLENA CERTEZA DE QUE SE O AUTOR DA MÚSICA ESTIVESSE VIVO SE ORGULHARIA DESTA VERSÃO.

"Little Wing" é uma canção do guitarrista e compositor americano Jimi Hendrix, do álbum Axis: Bold as Love, de 1967.
"Little Wing" tem sido regravada por vários artistas, incluindo Stevie Ray Vaughan, Gil Evans, Sting, Derek and the Dominos e Eric Clapton, The Corrs, Skid Row, Cassia Eller. É considerada uma das canções mais regravadas do século vinte.
Hendrix faz grande uso do conceito de harmônicas relativas menores usando um centro tonal de Sol maior, mas foi pioneiro em utilizar afinação em Mi menor, utilizada com autoridade e senso de urgência.
CARLOS VAMOS PLAYS "LITTLE WING" ACOUSTIC TAPPING VERSION HENDRIX

Curiosidades

Steve Vai em Maio de 2007
Steve Vai é vegetariano
Jejuou por dois dias para gravar a música For the Love of God.
Todas as sétimas músicas de seus álbuns são baladas, tanto que lançou um CD-coletânea chamado "The 7th Song, Enchanting Guitar Melodies (Archives Vol. 1)" com todas as músicas de número sete dos álbuns anteriores a este e algumas músicas inéditas.
Antes de cada show, para aquecer, costuma tocar por duas horas.10
Como hobby, cria abelhas no quintal de sua casa. Regularmente produz um pote de mel a ser vendido na sua Make a Noise Foundation.
Steve Vai é o dono da Favored Nations, uma gravadora especializada na gravação e divulgação internacional de artistas.
Steve é casado com Pia Maiocco, ex-baixista da banda feminina Vixen. Steve e Pia têm dois filhos, Julian Angel e Fire.
Ele gravou os sons que seu filho Julian (então com 2 anos de idade) fazia e os imitou com a guitarra na música Ya-Yo Gakk, do álbum Alien Love Secrets.
Steve Vai é conhecido por ser bastante atencioso com os fãs; não raro, ele passa do horário em sessões de autógrafos, sempre com um sorriso no rosto junto aos que tiram fotografias ao lado dele. Ele também costuma ir cumprimentar os fãs que esperam do lado de fora antes de suas apresentações.
A partir de sua turnê pela Europa em 2006, Steve iniciou o que chamou de "EVO Experience": poucos fãs visitam os bastidores com o próprio Steve, que deixa que eles peguem e toquem em sua famosa guitarra "EVO".
Steve tocou guitarra na música tema do jogo Halo 2, cuja versão foi mais tarde batizada de Halo Theme Mjolnir Mix.
A música favorita de Steve Vai é "For the Love of God"
Steve Vai realizou uma cirurgia para retirar a pele que possui entre os dedos da mão esquerda. O intuito desta cirurgia é que ele possa esticar mais seus dedos para alcançar notas mais distantes.
Após a morte de Michael Jackson, fez uma homenagem ao maior astro pop tocando uma versão da música Beat It, junto com o também guitarrista Andy Timmons.
Steve Vai - "Lotus Feet"

João Teixeira Guimarães, violeiro, violonista e compositor, nasceu em Jatobá, PE, no dia 2/11/1883 e morreu no Rio de Janeiro, RJ, no dia 16/10/1947.

Filho de índia caeté e de português, criança (12 anos) já dedilhava viola, que aprendera com cantores e violeiros sertanejos de sua cidade.

Com o falecimento de seus pais, mudou-se para Recife, onde foi aprendiz de ferreiro.

Em 1902 mudou-se para o Rio de Janeiro, passando a residir com sua irmã empregando-se numa fundição. Seis anos depois passou a trabalhar como servente na prefeitura do Rio, mudando-se para uma pensão no centro da cidade.

Passou a conviver então com grandes violonistas populares, aperfeiçoando-se no instrumento, sempre autodidata.

Grande conhecedor de músicas sertanejas nordestinas e já também compositor, Pernambuco conheceu Catulo da Paixão Cearense, com quem passou a compor cantigas inspiradas neste folclore. Em 1911 compõem o coco Engenho de Humaitá, que, dois anos mais tarde, se transformaria na famosíssima Luar do sertão. Comporiam também Caboca di Caxangá, sucesso no carnaval de 1914.

Já reconhecido musicalmente, formou então o Grupo Caxangá, que lançou um nova moda musical no país, pois vestiam-se como sertanejos nordestinos e tocavam suas cantigas em instrumentos típicos. O grupo, que além de João Pernambuco, contava com músicos como Pixinguinha e Donga em sua formação, teve seu auge em 1914, só dissolvendo-se em 1919. Pernambuco passou então tocar nos grupos Turunas Pernambucanos e depois no Oito Batutas.

Dedicando-se ao recolhimento de temas folclóricos, muitas de suas composições e adaptações, seriam gravadas pela cantora Stefana de Macedo.

Excelente violonista chegou a trabalhar em estúdios de gravação, tais como Casa Edison, Columbia e Phoenix.

Sua obra foi amplamente estudada e gravada. Dentre os artistas que o gravaram destacamos: Paraguassú, Augusto Calheiros, Altamiro Carrilho, Carlos Poyares, Jacob do Bandolim, Gregório Barrios, Marlene, Hebe Camargo, Lúcio Alves, Helena de Lima, Elizeth Cardoso, Maysa, Marisa, Antônio Adolfo, Nó em Pingo D’água, Raphael Rabello, entre tantos outros.
SONS DE CARRILHOES

Começou cedo no mundo da música, logo aos 5 anos já estava na banda Jackson 5, formada por ele e por seus irmãos e comandada pelo seu pai, banda esta que adquiriu sucesso razoável.

Durante toda sua carreira solo foi capaz de mover multidões às lojas de discos, lançou clipes fantásticos, demonstrando todo o seu talento como dançarino, e foi o criador de um dos maiores passos da história da música, o moonwalk, onde Michael desliza para trás.

Além de grande música, era filantropo e uma pessoa de bom caráter, devido a isso foi diversas vezes enganado, sofrendo vários processos e muito por isso caindo no mundo de remédios e antidepressivos, que com o tempo foram desgastando o cantor. 

Juntamente com isso, a mídia sempre foi muito abusiva com ele, que já sofria da época de Jacksons 5, quando ainda era muito novo e tudo isso culminou na sua morte, aos 50 anos, em 25 de junho de 2009.
MICHAEL JACKSON - REMEMBER THE TIME

Banda Alemã de Hard Rock de grande sucesso internacional.

O Scorpions ao longo de sua existência já vendeu mais de 125 milhões de discos.

O grupo e originário de Hannover, Alemanha, sendo fundado em 1965.ScorpionsKlaus Meine e os irmãos Michael e Rudolf Schenker, foram os fundadores do Scorpions.

A banda ficaria completa com a chegada dos músicos Lothar Heimber e Wolfgang Dziony .

Somente após 7 anos de existência e que o Scorpions conseguiu lançar seu primeiro álbum que foi Lonesome Crow.

Mesmo com o lançamento de um álbum, Lothar Heimberg e Wolfgang Dziony decidiram abandonar o Scorpions. Em seguida foi a vez de Michael Schenker que trocou a banda por outra, a UFO.

Os únicos remanescentes do grupo, Rudolf e Klaus, não se abateram com a saída de seus ex-companheiros de banda e decidiram continuar com o Scorpions. Eles foram substituídos pelo guitarrista Ulrich Roth, o baixista Francis Buchholz e o baterista Jürgen Rosenthal.

Com esta nova formação o Scorpions lançou em 1974 o seu segundo álbum, Fly to the Rainbow. O álbum seguinte foi In Trance, disco que fez grande sucesso no continente europeu.

O Scorpions alcançaria o sucesso mundial com o lançamento dos álbuns seguintes. Em 1976 saiu Virgin Killer, um clássico da banda. Já no ano seguinte foi lançado Taken by Force.

O Scorpions vivia trocando de integrantes por causa de problemas pessoais ou por problemas saúde de seus integrantes. Para não desfalcar definitivamente a banda o vocalista Klaus Meine teve que abandonar o Scorpions por um período de um ano para um tratamento de suas cordas vocais.

Em 1982 o Scorpions com seu vocalista já recuperado do seu problema nas cordas vocais lançou o álbum Blackout.

Apesar de fazerem grande sucesso na Europa e no Japão, somente com o lançamento do álbum Love at First Sting e que o Scorpions conquistou os Estados Unidos com suas canções.

Em 1985 o grupo desembarcou em terras brasileiras para participar do Rock in Rio. Canções como Rock You Like a Hurricane, The Zoo e Still Loving You ficaram gravadas na mente dos brasileiros que prestigiaram o Rock in Rio da época.

Em 1988 saiu Savage Amusement, disco que se diferenciou dos demais por ter canções de cunho critico.

No final da década de 80 o Scorpions conseguiu a façanha de tocar na União Soviética, nação totalmente fechada em decorrência da guerra fria. O Scorpions foi a primeira banda ocidental de rock a tocar por lá.

A experiência de se tocar no pais vermelho resultou no álbum Crazy World que contem o maior sucesso do Scorpions, a canção "Wind of Change".

Um dos últimos trabalhos de sucesso do Scorpions foi álbum Moment of Glory trabalho musical feito em parceria com a Orquestra Filarmônica de Berlim. Este disco contem os principais hits da banda.

Em Janeiro de 2010 os integrantes do Scorpions anunciaram que a banda chegaria ao fim e que realizariam uma ultima turnê mundial para o lançamento do álbum Sting in the Tail, talvez o ultimo do Scorpions.

Formação atual do Scorpions

Klaus Meine - vocal
Rudolf Schenker - guitarra
Matthias Jabs - guitarra
Paweł Mąciwoda - baixo
James Kottak - bateria
SCORPIONS - STILL LOVING YOU HD

Ao longo da sua carreira, Led Zeppelin vem acumulando muitas honras e prêmios. Eles foram introduzidos no Rock and Roll Hall of Fame em 1995,106 e no UK Music Hall of Fame em 2006.107

A influência do Led Zeppelin se mostrou poderosa em bandas de heavy metal, thrash metal e metal alternativo dos anos 90 que regravaram em estúdio ou ao vivo diversas covers da banda. Muitas destas assumiram publicamente ter o Led Zeppelin como sua maior influência. Dentre as bandas influenciadas tivemos regravações diversas como Tool gravando "No Quarter" no CD/DVD Salival de 2000, Korn com "Whole Lotta Love" e "Immigrant Song" nos ensaios de seu acústico para MTV, os já citados Helmet com "Custard Pie" e Rollins Band com "Four Sticks" no disco Encomium, Crowbar ao vivo com "No Quarter", Down ao vivo com "Dazed and Confused" em 2007, Megadeth com "Out on Tiles" nas edições especiais do disco United Abominations de 2007,108 Soundgarden com diversos covers ao vivo como "Whole Lotta Love", "Communication Breakdown" e "Stairway to Heaven". 109 O grupo brasileiro Angra regravou "Kashmir" para um CD tributo ao Led Zeppelin em 2002.

O Oasis costumava tocar o riff de "Whole Lotta Love" após o encerramento da música "Cigarettes & Alcohol" em seus shows, performance que pode ser encontrada no CD e DVD ao vivo Familiar to Millions, editado em 2001. A banda Cachorro Grande já interpretou duas vezes a música D'yer Mak'er no programa Altas Horas e também cita o Led Zeppelin como uma das influências para o seu disco Cinema.

Ao contrário de muitos dos seus contemporâneos, a banda sempre foi muito protetora das suas músicas e raramente autorizava que elas fossem usadas para outros fins. Mais recentemente, eles foram se tornando mais flexíveis, podendo-se ouvir música dos Zeppelin em filmes como Almost Famous, Escola de Rock e Silver Linning Playbook/O Lado Bom da Vida.
Nos extras do filme Escola de Rock, Jack Black manda um recado aos integrantes do Led Zeppelin, para autorização da música "Immigrant Song" ser tocada no filme, e se refere a eles como "Deuses do Rock" e a maior banda de rock de todos os tempos, fato já apresentado pela revista Rolling Stone.
Led Zeppelin - Stairway To Heaven Live (HD)

Parte do estilo único de Hendrix se deve ao facto dele ter sido um canhoto. Embora ele tivesse e usasse diversos modelos de guitarra durante sua carreira (incluindo uma Gibson Flying V que ele decorara com motivos psicodélicos), sua guitarra preferida, e que será sempre associada a ele, era a Fender Stratocaster, ou "Strat". Ele comprou sua primeira Strat por volta de 1965, e usou-as quase constantemente durante o resto de sua vida.
  
Busto de Jimi Hendrix em Kielce na Polônia. Uma característica da Strat que Hendrix utilizou ao máximo foi a alavanca de trêmolo, patenteada pela Fender, que o habilitou a "entortar" notas e acordes inteiros sem que a guitarra saísse da afinação. O braço relativamente estreito da Strat, de fácil ação, foi também perfeito para o estilo envolvente de Hendrix e potencializou enormemente sua grande destreza - como pode ser visto em filmes e fotos, as mãos de Jimi eram tão grandes que lhe permitiam pressionar todas as seis cordas com apenas a parte de cima do seu polegar, e ele podia, pelo que dizem, tocar partes rítmicas e solos simultaneamente.

As Statocasters foram primeiramente popularizadas por Buddy Holly e pela banda britânica The Shadows, mas elas eram quase impossíveis de serem obtidas no Reino Unido até a metade da década de 60, devido às restrições de importação do pós-guerra. O surgimento de Hendrix coincidiu com o fim dessas restrições, e ele, de forma indiscutível, fez mais do que qualquer outro músico para tornar a Stratocaster a guitarra elétrica mais vendida na história. Anteriormente à sua chegada ao Reino Unido, a maioria dos músicos mais conhecidos utilizava guitarras Gibson e Rickenbacker, mas depois de Hendrix, quase todos os principais guitarristas, incluindo Jeff Beck e Eric Clapton, trocaram para as Fender Strats. Hendrix comprou várias Strats durante sua vida; ele deu várias de presente (incluindo uma dada ao guitarrista do ZZ Top Billy Gibbons), mas muitas outras foram roubadas e ele mesmo destruiu diversas delas em seus famosos rituais de queima da guitarra ao final dos shows.

Considerado um dos maiores e mais influentes guitarristas de todos os tempos, Gilmour é um músico com uma pegada muito sentimental. Ele transmite ao instrumento tudo o que ele realmente quer que seja executado ( isto é chamado pelos guitarristas de "feeling" ). Foi inovador no uso de efeitos sonoros na guitarra. Conhecido também por improvisar solos ao vivo feitos com a boca, com uma técnica magnífica, fazendo sua guitarra cantar. Recentemente, seu solo em "Comfortably Numb" foi considerado por um site especializado como sendo o melhor solo de guitarra de todos os tempos.
Também utiliza em suas apresentações um modelo de guitarra estilo "mesa", a lapsteel guitar, com a qual faz solos memoráveis e geniais, como em "Breathe", "High Hopes" e "One Of These Days", entre outras.
David possui, dentre muitas outras guitarras, uma das primeiras Fender Stratocaster fabricadas. Com número de série da primeira linha de stratocaster fabricada pela Fender. Um modelo de cor creme e metais dourados. Ele raramente a usa em shows, por ser considerada muito rara e especial, além do receio de que seja roubada. Ele pode ser visto tocando com esta guitarra no show comemorativo do aniversário de 50 anos da Fender Stratocaster, em 2004.
Em 2008 a Fender lançou uma Stratocaster em sua homenagem, batizada de "Black Strat", na sua linha de guitarras "Artist Signature Series". O modelo recria, em detalhes, uma Stratocaster preta com escudo negro que Gilmour há muitos anos utiliza.


Enquanto as contribuições de Steve a outros artistas tem sido restrita ao estilo rock ou hard rock, suas composições próprias são consideravelmente mais esotéricas.
O estilo de tocar de Steve Vai é bastante peculiar e teatral, carregado de gestos, e caracterizado por sua facilidade técnica com a guitarra e seu conhecimento de teoria musical.
Steve também tem sido creditado como o responsável pelo ressurgimento da guitarra com 7 cordas. As primeiras antigas foram tocadas pelo guitarrista de jazz George Van Epps, nas décadas de 1930 e 1940, mas o conceito foi reintroduzido no rock por Steve.
Um ponto interessante a ser notado é o compromisso de Steve com o ato de estudar e praticar. Ele declarou em vários textos e a várias revistas especializadas de guitarra que pratica cerca de oito horas por dia ou mais ? hábito adquirido nos seus primeiros anos de faculdade.
Ele geralmente usa o lídio, que é seu modo favorito, mas também é conhecido por usar o modo "Bartok" da escala menor melódica.



Brothers in Arms é o quinto álbum de estúdio da extinta banda de rock inglesa Dire Straits, lançado em 1985. O álbum foi um marco na indústria fonográfica, sendo um dos pioneiros no processo de gravação, mixagem e masterização totalmente digitais.

VEJA COMO A TRADUÇÃO É LINDA?

Irmãos Em Armas
Essas montanhas enevoadas
São minha casa agora
Mas meu lar são as planícies
E sempre serão

Um dia você retornará
Para seus vales e fazendas
E não mais sofrerá
Por ser irmão em armas

Através desses campos de destruição
Batismo de fogo
Eu vi todo seu sofrimento
Conforme as batalhas se enfureciam

E embora eles tenham me ferido profundamente,
Durate o medo e a preocupação,
Você não me desertou,
Meu irmão em armas.

Há muitos mundos diferentes,
Muitos sóis diferentes,
Mas nós temos só um planeta,
Mas vivemos em planetas diferentes.

Agora o Sol foi para o inferno
A lua está vagando distante
Deixe-me te desejar adeus,
Todo homem há de morrer.

Mas está escrito nas estrelas,
E em cada linha da sua mão.
Nós somos tolos por fazer guerra
Contra nossos irmãos em armas.


Tocar violão não é repetir o que os outros fazem, mas é ter originalidade!

Na verdade não é fácil tocar violão, no começo os dedos doem, as notas não saem direito, a pessoa não sabe afinar direito o violão. Não pensa que você vai começar a tocar um violão hoje e vai sair tocando que nem cantor da noite, o nível vai subindo aos poucos.São poucas pessoas que tem o dom e a facilidade, mas se você não tem, vale a pena insistir, a recompensa futura é boa. Recomendo você comprar um afinador e quem sabe aprender a cantar bem, pois tem gente que não toca nada, mas canta bem e a maioria só percebe como a pessoa canta.


Segundo estudo realizado pela ONU (Organização das Nações Unidas), cerca de 150 milhões de pessoas africanas não tem acesso à quantidade mínima de calorias diárias. E o pior, outros 23 milhões podem literalmente morrer de fome ou por causas provenientes da mesma, como insuficiência de determinados nutrientes no organismo: falta de potássio, proteína, cálcio, entre outros.
É de conhecimento de todos que a África convive com o problema da fome, agora basta saber quais fatores desencadearam as diversas mazelas sociais que essa parte do mundo se sujeita.


Uma das causas da fome está ligada à forma de ocupação do território e a extrema dependência econômica externa, herdada do período do colonialismo. Isso é agravado ainda mais com o acelerado crescimento populacional.


Por que viajar?
Há inúmeras formas de responder a Por que viajar?. E seja qual for sua resposta, uma coisa é certa, independentemente do seu destino: ao sair de sua casa você terá de deixar sua zona de conforto, composta:

-  por tudo o que você conhece dentro dela, em sua vizinhança e em sua cidade;

-  pela comida, pelos cheiros e pelos ruídos a que você está acostumado(a);

-  pela língua que você fala desde sua primeira palavra.

Isso parece óbvio, não? Mas não é. Uma das coisas que mais me surpreende ao encontrar viajantes por aí ou ao perguntar-lhes sobre suas experiências quando voltam, é ouvir, como justificativa(s) do porquê eles não estão curtindo ou não curtiram a viagem:

-  que queriam comer a comida que conhecem (arroz, feijão, bife etc.);

-  que tiveram de falar inglês (a língua mais utilizada quando viajamos para outros países);

-  que o colchão era diferente do seu e por aí vai.

Um ponto fundamental quando decidimos viajar é saber que não poderemos levar nossa casa nem nossos objetos conosco. Lá fora (seja outra cidade ou outro lugar no Brasil ou num país estrangeiro), certamente encontraremos o diferente – o que não é bom nem ruim, essa qualidade quem vai dar é você. E rotular tudo o que é diferente como “ruim”, é perder a oportunidade de ter experiências inesquecíveis e histórias legais para compartilhar na volta.

Isso não significa que tenhamos de gostar de tudo o que comemos ou bebemos, de todos os passeios que fazemos ou de todas as pessoas que encontramos, mas pelo menos saberemos por experiência própria o que nos agrada e o que nos desagrada naquela situação específica, sem comparar com o que já conhecemos.

Para mim, viajar é sempre uma oportunidade para aprender, para me conhecer melhor, para tentar incorporar coisas que acho legais, para exercitar meu respeito pelo outro que tem uma cultura diferente, para praticar inglês ou espanhol (duas línguas que tento falar), para fazer novas amizades e para falar sobre o Brasil, entre outros motivos.


E para você, por que viajar?


BEBER UMA CERVEJA POR DIA PODE MELHORAR A SAÚDE
De acordo com o Daily Mial, que cita um estudo feito pela Universidade de Harokopio, em Atenas, Grécia, beber um copo de cerveja por dia pode melhorar a saúde do coração.

Isto porque, segundo os cientistas que integraram o estudo, a cerveja melhora o fluxo sanguíneo para o coração. Nesse sentido, de acordo com o estudo, beber um copo de quase meio litro de cerveja por dia melhora o fluxo sanguíneo.

Na pesquisa, os investigadores verificaram que, após a ingestão de 0,4L de cerveja, o fluxo sanguíneo, dirigido ao coração, era maior, do que no caso das bebidas não alcoólicas.

As artérias também se tornaram mais flexíveis algumas horas depois da ingestão da quantidade de cerveja, levando à conclusão de que o consumo moderado de cerveja pode proteger contra doenças cardíacas.

Em termos técnicos, o estudo foi feito com 17 homens não-fumadores, entre os 20 e os 30 anos, sendo apenas indicativo e não conclusivo, dada a escassez da amostra e das idades dos participantes.


PORQUE TER NOJO PODE SER BOM
A cara de nojo que fazemos é universal. Podemos imaginar a face contorcida que comunica um sentimento de repulsa e nojo. Aranhas, criaturas gosmentas e muco podem provocar isso. A reação geralmente é se distanciar da causa.

Como resultado, sensações de nojo nos ajudam a evitar, ou pelo menos reconhecer, aquilo que nos faz sentir assim – e por uma boa razão, dizem os psicólogos.

Quando se trata de doenças infecciosas, o nojo surgiu para nos ajudar a manter distância de doentes, água suja, vômito, fluídos corporais e tudo que nos faz dizer “eca”.

Em um artigo, o Dr. Val Curtis argumenta que evitar o que nos dá nojo é essencial para prevenir a transmissão de todas as grandes doenças infecciosas.

Diarreia, infecções respiratórias, malária, sarampo, HIV, tuberculose e vermes parasitas podem ser evitados se pensarmos em aspectos de higiene, comenta Curtis.

Lavar as mãos e a comida pode prevenir doenças como cólera e hepatite A, evitar o sexo com outros que estão infectados ajuda a prevenir a transmissão do HIV, enquanto manter distância de pessoas com gripe ou sarampo é um movimento a mais para reduzir o risco.


FONTE:
http://www.variedades1.com/

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK