PROCURANDO POR ALGO?

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Com 55 votos a favor, Senado afasta Dilma por 180 dias

FOTO: MARCELO CAMARGO/ AGÊNCIA BRASIL
FOTO: MARCELO CAMARGO/ AGÊNCIA BRASIL
CEARÁ AGORA
O Senado decidiu, na manhã desta quinta-feira, por 55 votos por 22 votos, afastar, por 180 dias, a presidente Dilma Rousseff. Com essa decisão, o vice-presidente Michel Temer assumirá o mandato e, no período de seis meses, o Senado abrirá o processo do impeachment para julgar se a presidente Dilma será cassada ou absolvida dos crimes de responsabilidade.
No período de até 180 dias, uma comissão especial do Senado irá ouvir testemunhas e depoimentos sobre as denúncias que levaram a abertura do processo contra Dilma Roussef.
O presidente do Senado Renan Calheiros anunciou por volta das 6 horas e 30 minutos desta quinta-feira, o resultado da votação. Foram mais de 20 horas da sessão, iniciada às 9 horas dessa quarta-feira, com interrupções.
Os discursos de mais de 50 senadores davam a sinalização do afastamento de Dilma que será notificada ainda nesta quinta-feira. O vice Michel Temer assume ainda nesta quinta e anunciará a equipe de ministros que o acompanhará no Governo de transição.

Antes mesmo da conclusão da votação, feita em placar eletrônico, na madrugada de quinta foi atingida a maioria dos votos dos parlamentares na Casa para determinar o afastamento temporário de Dilma por 180 dias para ser julgada pelo Congresso. Após quase 20 horas de debates, 77 parlamentares discursaram no plenário, dos quais 51 anunciaram apoio ao afastamento de Dilma.
Antes da conclusão dos discursos, contudo, o placar para o impeachment da petista se formou quando foi anunciado o voto de Flexa Ribeiro (PSDB-PA), chegaram a 39 o número de favoráveis ao impeachment. Como há 77 senadores aptos a votar, se formou uma maioria prevista conforme o anúncio dos votos nos discursos.
Na sessão marcada por provocações e críticas de ambos os lados, os senadores mantiveram o ritmo e adentraram a madrugada, garantindo assim que Michel Temer assuma o posto de presidente da República na tarde desta quinta-feira.
Concluídas as falas dos parlamentares, que duraram quase vinte horas, o relator do parecer pelo início do processo, Antonio Anastasia (PSDB) fez sua apresentação por 15 minutos na qual reiterou que houve crime de responsabilidade da petista.
Em seguida, falou advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, responsável pela defesa de Dilma, também por 15 minutos. Em um discurso enfático ele quais refutou as conclusões do relatório do tucano, afirmou que o impeachment foi aceito por uma manobra de “vingança” de Cunha e repetiu os argumentos de que as pedaladas não configuraram crime de responsabilidade e que foram feitas por outros governos sem terem causado punição. Ao final, ele reafirmou que o processo se configurou como um “golpe”.
Após o resultado, Renan informou que a presidente será notificada ainda na manhã desta quinta-feira, 12, da decisão do Senado. Caberá ao primeiro-secretário da Casa, senador Vicentinho Alves (PR-TO), fazer essa notificação pessoalmente.
Ao final do processo, Dilma será afastada definitivamente do cargo se houver pelo menos 54 votos para condená-la.
Com informações da redação cearaagora.com.br e Estadão.

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK