PROCURANDO POR ALGO?

sábado, 11 de junho de 2016

Em São Paulo, manifestantes ameaçam promover greve geral no país

São Paulo - Milhares de pessoas se reúnem na Avenida Paulista em protesto contra o presidente interino, Michel Temer (Elaine Patrícia Cruz/Agência Brasil)
© Elaine Patrícia Cruz/Agência Brasi São Paulo - Milhares de pessoas se reúnem na Avenida Paulista em protesto contra o presidente interino, Michel Temer (Elaine Patrícia Cruz/Agência Brasil)

Durante ato realizado na noite desta sexta-feira (10), na Avenida Paulista, em São Paulo, movimentos sociais e sindicais ameaçaram  promover uma greve geral no país, caso o governo do presidente Michel Temer promova mudanças na Previdência Social ou a perda de direitos de trabalhadores.
O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse que “Se passar a pauta conservadora de mexer com a Previdência, de tirar os direitos dos trabalhadores, estamos conclamando vocês: vamos organizar a maior greve geral que este país já teve”.
“O governo Temer não vai ter sossego porque nós não admitimos que o capital financeiro faça os ajustes retirando os direitos e acabando com os direitos do povo brasileiro”, disse Gilmar Mauro, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST).
O ato foi convocado pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo sem Medo e reuniu movimentos e centrais sindicais. Teve também a presença de muitos políticos  da região, além de um show do cantor Chico César. “Aqui é momento de unidade de todas as forças populares, democráticas e de esquerda para barrar o golpe e depor um governo ilegítimo”, disse o presidente nacional do PT, Rui Falcão.
Também participou do ato o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, pela manhã, recebeu a visita da presidenta afastada Dilma Rousseff, na capital paulista, para conversarem, segundo o Instituto Lula, sobre “a situação política do país”.
Na Paulista, Lula discursou por cerca de 35 minutos. No início de seu discurso, Lula disse que não poderia convocar uma greve geral no país: “Não posso falar em greve geral porque não estou dentro da fábrica e porque aposentado não faz greve”.
Segundo os organizadores, o ato contou com a presença de 100 mil pessoas. A Polícia Militar não fez uma estimativa do público presente à manifestação.
FONTE: MSN

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK