PROCURANDO POR ALGO?

domingo, 17 de julho de 2016

Veja as notícias que foram destaque na semana no Blog do Parceiro - 10 a 16 de julho





EM 1º LUGAR: 

Corte de árvores irrita a população

As plantas serviam para sombrear mototaxistas e passageiros que esperavam ônibus

Foto: WhatsApp/TV Cidade
Próxima a serra de Guaramiranga, o município de Aracoiaba, no Maciço de Baturité, marca nesta terça-feira (12), 32º C. Para evitar o calor, muitos moradores usam as sombras das árvores. As plantas, que são espalhadas por toda a cidade, servem como sombra para pedestres e motoristas que desejam proteger seus veículos do sol. Entretanto, apesar da necessidade, foi realizado um corte em diversas árvores do município durante a manhã. 
Fotos e vídeos encaminhados ao WhatsApp da TV Cidade mostram os cortes feitos nas árvores, que ficam nas proximidades da CE-060. De acordo com um morador, as folhas faziam sombra para mototaxistas e até para aqueles que esperavam ônibus. Não se sabe quem autorizou o corte, mas os moradores acreditam que tenha sido autorizado pela prefeitura. 
O Cnews procurou a Prefeitura de Aracoiaba, mas nenhuma ligação foi atendida. 

VEJA OS VÍDEOS ACIMA AQUI 

EM 2º LUGAR: 

Como transformar uma velha roda de carro em uma bela churrasqueira

Quem consome carne certamente gosta de churrasco. É um momento para reunir os amigos e comer, mas já imaginou poder fazer uma churrasqueira você mesmo usando uma velha roda de carro?
Isso mesmo! Aproveite uma que não tenha mais utilidade e “mãos à obra”. Para começar você precisará de algumas coisas. São elas: a roda, tinta resistente à ferrugem, tinta resistente a altas temperaturas, uma grade de tamanho do aro circular, madeiras para fazer a base, 4 parafusos 15/8 polegadas, 4 rodinhas, 4 parafusos 1/2 polegada, um tudo preto de 18 polegadas, duas barras de 1/2 polegada com roscas, duas arruelas com roscas e quatro orifícios para prender o tubo, além das ferramentas (amolador, broca e serra).
Siga os seguintes passos:

Como transformar uma velha roda de carro em uma bela churrasqueira
Já imaginou poder fazer uma churrasqueira você mesmo usando uma velha roda de carro? Saiba como fazer isto lendo a esse artigo.
Foto: labioguia
Foto: labioguia
1. Pinte a roda com a tinta resistente à ferrugem (se for necessário) e depois com a tinta resistente a altas temperaturas.
Foto: labioguia
Foto: labioguia
2. Para a base, junte as madeira da mesma espessura e as una como mostrado na figura.

Foto: labioguia
Foto: labioguia
3. Pinte o tubo e as arruelas que você usará para anexar a base e a grade, e parafuse-as: uma no aro e outra na base de madeira.
Foto: labioguia
Foto: labioguia
4. Junte as peças por meio do tubo.
5. Coloque as rodas na base e pinte-as se quiser.
Foto: labioguia
Foto: labioguia
6. Você pode adicionar alguns detalhes, como algo que sirva para pendurar utensílios domésticos.
Foto: labioguia
Foto: labioguia
7. Está pronta.
Foto: labioguia
Foto: labioguia
Fonte: Labioguia
EM 3º LUGAR: 

COMUNICADO OFICIAL – PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACOIABA

Foto: @FACEBOOK - Prefeitura Municipal de Aracoiaba
COMUNICADO OFICIAL – PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACOIABA
Prefeitura Municipal de Aracoiaba, através de sua assessoria, vem informar aos cidadãos aracoiabenses, que por motivo da construção da Nova Praça Central a margem da CE 060, algumas árvores foram retiradas.


A nova praça terá além de urbanização, rampas de acesso, nova iluminação, abrigo para os mototaxistas, novos bancos, além de uma infraestrutura moderna. Serão replantadas mudas nativas da nossa região em igual número às árvores retiradas.


Esclarecemos ainda que todo corte de árvores realizadas seguem estritamente a legislação ambiental. Todos os procedimentos realizados em relação aos cortes das árvores estão sendo devidamente comunicados ao Ministério Público e estar de acordo Lei Orgânica do Município.

PAÇO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACOIABA, aos 12 de julho de 2016.

Assessoria de Comunicação
Prefeitura de Aracoiaba


Foto: @FACEBOOK - Prefeitura Municipal de Aracoiaba

Foto: @FACEBOOK - Prefeitura Municipal de Aracoiaba

FONTE: Página no Facebook - Prefeitura Municipal de Aracoiaba

LEIA TAMBÉM

Corte de árvores irrita a população


EM 4º LUGAR: 

Hoje eu tenho mil razões para chorar...

E PERMANECER EMUDECIDO EM MEIO AO SILENCIO DO MEU QUARTO, PELAS RELEMBRANÇAS E PERDA DE MINHA SANTA MÃE
FOTO: Rufino Silva no túmulo de sua mãe, Dona Rocilda

HOJE EU TENHO MIL RAZOES PARA CHORAR E PERMANECER EMUDECIDO EM MEIO AO SILENCIO DO MEU QUARTO, PELAS RELEMBRANÇAS E PERDA DE MINHA SANTA MÃE, DONA ROCILDA... 15.06.2016, DATA EM CUJO LUTO DEMARCA SEU SEPULTAMENTO E A TRISTEZA DANADA POR TER A MESMA NOS DEIXADO ÓRFÃOS. DE UMA MÃE EXEMPLAR, DÓCIL, VIRTUOSA E UMA PESSOA DO BEM, ONDE A MESMA NÃO DESCRIMINAVA NINGUÉM E QUE SÓ FAZIA BOAS ACOES, AQUI NA TERRA...ONTEM, 14,06.2016, ELA FECHAVA OS OLHOS PARA SEMPRE, NOS PEGANDO DE SURPRESA, SOBRETUDO, ENLUTANDO TODA A CIDADE DE ARACOIABA, INCLUSIVE SEUS PARENTES E AMIGOS VERDADEIROS. EU ACHO QUE MESMO DEPOIS DE SUA PÓS MORTE, ELA PERDOOU AQUELAS PESSOAS QUE DIRETA OU INDIRETAMENTE, A MESMA FOI OFENDIDA. DONA ROCILDA, DEVIA HAVER AQUI NA TERRA, UMA LEI, QUE MÃE, NAO DEVIA MORRER... SOMENTE ASSIM. ELA PERMANECERIA EM NOSSA POSTERIDADE... DESCANSO ETERNO, AMEM.

LEIA MAIS
Crônicas de Rufino Silva

EM 5º LUGAR: 

Benefícios da Babosa

A babosa, também chamada pelo seu nome científico Aloe vera, é conhecida por suas propriedades medicinais, além de seu uso em tratamento de beleza. Por isso, ela ganhou o apelido de “planta milagrosa”. O homem utiliza a babosa há muitos séculos e hoje se sabe que a planta de fato contém diversas substâncias benéficas para o nosso organismo.
Mais de 50 nutrientes são encontrados na aloe vera. Entre eles estão: cálcio, magnésio, zinco, ferro cobre, aminoácidos essenciais e ácidos graxos. Devido a essas substâncias, a planta atua como um ótimo cicatrizante, ajuda no funcionamento do intestino, auxilia no tratamento da congestão nasal e fortalece os ossos.
Aloe Vera
Benefícios da Aloe Vera

Propriedades da Aloe Vera

Para início de conversa, a babosa é uma importante aliada dos tratamentos de beleza. O gel, extraído da folha da planta, hidrata os cabelos e reduz a oleosidade do couro cabeludo. Ela ainda limpa apele profundamente, além de reduzir as manchas, acnes e espinhas. Por isso, é bastante comum que a aloe vera seja utilizada no preparo de cremes e hidratantes na indústria de cosméticos.

Pesquisas recentes mostram que a babosa é capaz de fortalecer o sistema imunológico, prevenindo o corpo contra diversas doenças. A planta colabora para absorção de vitaminas e antioxidantes, além de eliminar toxinas do organismo. Isso retarda o envelhecimento das células, bem como auxilia no controle do colesterol no sangue.
Os estudos científicos também revelam que a babosa pode tratar a congestão nasal e, por consequência, combater doenças respiratórias. Inclusive, alguns medicamentos produzidos na Europa contam com a aloe vera como principal princípio ativo para a desobstrução nasal.
E para quem sofre com o intestino preso, a boa notícia é que a babosa também auxilia no trânsito intestinal. Isso porque ela contém grandes quantidades de fitoquímicos, que atuam de forma positiva na flora intestinal. Assim, a planta funciona como um poderoso laxante natural, além de facilitar o processo de digestão.

Contraindicações da Babosa

A casca da folha da babosa contém um substância chamada de aloína, que é tóxica para o organismo. Por isso, nenhuma receita deve ser preparada utilizando a parte externa da folha. O consumo excessivo da planta também pode trazer malefícios como enjoos, dermatites e alergias. Cerca de 1% da população mundial é alérgica a aloe vera. Sendo assim, antes de utilizar a planta, faça um pequeno teste: corte a folha e aplique um pouco do sumo na orelha. Se não houver nenhum tipo de reação, você poderá utilizar a aloe vera normalmente.

Informações Adicionais

Babosa e Mel curam o Câncer

Por várias vezes vemos notícias de medicamentos caseiros que curam doenças, em alguns casos, as dicas são boas e devem ser usadas, mas em outras, devemos ficar atentos para não cair em falácias e nos decepcionar.
A cura do câncer é uma dos desejos dos acometidos pela doença e seus familiares, assim como por grande parte da comunidade acadêmica que passa anos e anos dentro de um laboratório tentando encontrar este resultado.
Recentemente tivemos a discussão sobre o uso da  fosfoetanolamina, do uso em humanos ainda sem testes suficientes que permitissem um uso seguro do composto no tratamento de pacientes com câncer. Dr. Drauzio Varella foi um dos que comprou a briga de que nem a ciência poderia ser tratada dessa forma, e muito menos os pacientes de câncer, tão desejos pela cura pudessem ser enganados ou ter uma falsa esperança num tratamento ainda sem comprovação científica suficiente para dizer que cura o câncer.
O mesmo acontece com os compostos naturais que prometem tratar os vários tipos de câncer. Um destes “remédios naturais” é algo bem simples, uma receita que mistura de babosa com mel.
Essa receita foi divulgada por Frei Romano Zago, que batia no liquidificador a planta, o mel e cachaça. Muitos pacientes acreditaram no milagre dessa bebida. Mas infelizmente, eu sou uma que viu uma família depositar sua esperança nesta medicação natural e não ter seu ente curado.
Após tamanha repercussão desse composto, houve quem propôs investigar em laboratório. Uma das pesquisas foi feita pela bióloga Rebeka Tomasin, que relatou observar redução de tumor em ratos usando este experimento.
O grande problema desta receita é que diz para usar a babosa com a casca, e justamente a casca que contém a aloína que é tóxica para o organismo. Não existem pesquisas ainda conclusivas sobre o assunto.

EM 6º LUGAR: 

Cearense de 95 anos guarda em caderno anotações de chuvas há 40 anos

Maria Zenalda, de 95 anos, sabe todo o histórico de chuvas do distrito de Baú, em Iguatu, desde 1975

Por Jangadeiro FM em Ceará


Dona Maria guarda há 40 anos registros de chuvas em um caderno (FOTO: Tribuna do Ceará)
Dona Maria Zenalda, a Guardiã, há 40 anos registros de chuvas em um caderno (FOTO: Tribuna do Ceará)

O histórico inédito e original da pluviometria hídrica da região do distrito de Baú, comunidade do município de Iguatu, a 400 quilômetros de Fortaleza, tem um arquivo bastante curioso. Sem constar nos sistemas eletrônicos da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), nem nos computadores da secretaria municipal de Agricultura, os registros históricos estão num simples pedaço de papel.
Aos 95 anos, Maria Zenalda Alves Nogueira guarda há 40 anos em um caderno as informações das precipitações que caíram na região desde 1975. De lá para cá, a cearense anota religiosamente as informações das precipitações. Após todo esse tempo de anotações, Dona Maria recebeu o título de Guardiã, por guardar todos os registros de chuva do distrito.

Em entrevista à Rádio Jangadeiro FM, a idosa explicou que o interesse pelo assunto se deu após ganhar um pluviômetro de seu filho João Nicédio, engenheiro agrônomo e hoje presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras. Por isso, a guardiã dos dados das chuvas do Baú lembra que antes da chegada da telefonia móvel na localidade, ela informava as quantidades de chuvas à Funceme em boletins mensais que eram enviados pelos Correios.
“Foi por causa do meu filho que trouxe um pluviômetro pra cá e me deixou pra anotar. Ele sempre gosta dessas novidades e até hoje deu certo. Virou um boletim, mandava mensalmente pelo correio para a Funceme. Assim que
termina a chuva, eu encaminho logo pra sair no jornal”, disse.
Registro possui chuvas com masi de mil milímetros (FOTO: Tribuna do Ceará)
Registro possui chuvas com mais de mil milímetros ao longo do ano (FOTO: Tribuna do Ceará)

Histórico
De acordo com os registros de Dona Maria, chuvas acima de mil milímetros aconteceram nos anos 80. Como por exemplo, o ano de 1985, de inverno abundante, quando choveu no Baú 1.711 mm. Lá também está o registro da maior chuva caída em toda história do distrito de Baú, no dia 26 de março de 1987, de 143 mm.
Os registros de Zenalda revelam dados curiosos das quadras invernosas. Durante cinco anos, de 1984 a 1989, o distrito de Baú registrou invernos fortes. À medida que se faz a leitura dos dados, é comum se deparar com a curiosidade das informações. Em 2005, quando choveu apenas 392 mm na região, um ano antes, em 2004 havia chovido 1.327 mm. Na diferença de uma estação chuvosa para outra, choveu três vezes menos.
O caderno não é simplesmente um bloco de anotações. É um registro histórico de dados pluviométricos. Nessa época, as lagoas não secavam, diferentemente dos dias atuais, em que o Estado encara o seu 5º ano consecutivo de seca.
“Antigamente as pessoas plantavam arroz, e hoje já não é a mesma coisa. O ano que choveu menos foi quase 400 milímetros, mas agora tá difícil”, relatou. 

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK