PROCURANDO POR ALGO?

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Quase 50% dos brasileiros desconhece risco de cegueira do diabetes

Entre diabéticos, a conscientização sobre as complicações oculares é baixa, diz pesquisa

© iStock
Quase metade dos brasileiros não sabe que o diabetes pode causar cegueira. É o que aponta uma pesquisa conduzida pela Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), em parceria com a Bayer, que analisou o grau de percepção da população com relação às complicações oculares ocasionadas pela doença. A pesquisa foi feita em oito capitais brasileiras: Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre, São Paulo, Brasília e Salvador, com 4 mil pessoas.

Entre os entrevistados que não têm diabetes ou não possuem ninguém na família com a doença, 45% desconhecem a relação entre a doença e a perda da visão. Já entre os diabéticos ou que têm familiares portadores da doença, mesmo sendo a perda da visão uma das complicações mais temidas (29%), 57% nunca ouviram falar de retinopatia diabética e edema macular diabético, principais complicações oculares da doença.

O edema macular diabético (EDM) é uma complicação do diabetes, assim como a retinopatia diabética (RD), e ambos são causados pelo aumento de açúcar no sangue, levando a alterações nos vasos sanguíneos de todo o corpo, incluindo os vasos do olho, especificamente da parte posterior do olho chamada de retina (RD) e de sua porção central denominada mácula (EMD).
No caso do EMD, existe um vazamento de fluído dentro da mácula, região central da retina que dá nitidez e foco às imagens. A presença de fluído causa perda severa de visão e pode levar à perda da visão central. Os principais sintomas do EMD são manchas na visão, distorção de imagens, fotofobia, diminuição do contraste e visão de cores, além de alterações no campo de visão.
"Em relação ao diabetes, já se observa níveis de epidemia no Brasil. À medida que esses números aumentam, proporcionalmente cresce o número de indivíduos que correm o risco de desenvolver essas complicações oculares", afirma o médico endocrinologista Dr. Luiz Turatti, presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes.
Outro ponto preocupante apontado pela pesquisa é que entre os entrevistados que possuem a doença ou têm algum caso na família, 38% afirmaram que seus respectivos endocrinologistas nunca pediram exame de fundo de olho, fundamental para o diagnóstico precoce da complicação ocular, e cerca de 10% nunca passaram por uma consulta com um oftalmologista durante o tratamento. Cenário que explica outro dado, 49% afirmaram terem dito diagnóstico tardio de complicação ocular.
Cerca de um terço das pessoas com diabetes desenvolvem algum grau de dano ocular, segundo o IDF. Sem o tratamento adequado, esses pacientes podem perder mais de duas linhas de visão em menos de dois anos. 
No último mês, a ANVISA aprovou uma nova terapia para o Edema Macular Diabético, através da inibição da formação de novos vasos na retina, além de atuar na inflamação causada pela doença. O Eylia® (aflibercepte), da Bayer, é um antiangiogênico, ministrado por injeção intravítrea (dentro do olho), que apresenta mecanismo de ação exclusivo permitindo uma duração de atividade dentro do olho maior que a dos outros medicamentos.

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK