PROCURANDO POR ALGO?

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Entenda o que ocorre após o afastamento de Dilma

Agora presidente em exercício, Michel Temer tomará posse ainda nesta quarta-feira (31)

© Reuters
Após a aprovação da cassação de mandato de Dilma Rousseff, o agora presidente Michel Temer, pretende fazer pronunciamento por volta das 20h e seguir em viagem à China para reunião do G-20.

Com a conclusão do impeachment, o PMDB chega mais uma vez à Presidência de forma indireta. A última vez que isso aconteceu foi em 1985, quando o então vice José Sarney assumiu após Tancredo Neves morrer antes de tomar posse.
Dilma
A ex-presidente Dilma Rousseff fará declaração à imprensa após a decisão do Senado sobre o processo que pede seu afastamento definitivo do cargo. O horário do pronunciamento ainda não foi confirmado.
Na condição de ex-chefe de Estado, Dilma terá direito a nomear oito servidores de livre escolha para prestar serviços de segurança e apoio pessoal (quatro), assessoria (dois), e motorista (dois). Dois carros oficiais também serão disponibilizados para ela.

'Nossa responsabilidade aumentou', diz Temer após impeachment

No Palácio do Jaburu, o peemedebista acompanhou o resultado na área privada, na companhia da mulher, Marcela Temer

© Reuters
Com a decisão do Senado de afastar definitivamente Dilma Rousseff, Michel Temer reconheceu que a responsabilidade do governo peemedebista aumentou ao passar de interino para definitivo.

"Agora, nossa responsabilidade aumentou", afirmou.
No Palácio do Jaburu, o peemedebista acompanhou o resultado na área privada, na companhia da mulher, Marcela Temer. Na sequência, ele se dirigiu ao ambiente comum, onde recebeu cumprimentos de ministros e aliados.

População no país reage a impeachment com choro, fogos e buzinaços

Em Brasília, militantes que acompanharam a votação no Palácio do Alvorada lamentaram a destituição de Dilma

© Ricardo Moraes/Reuters
A população reagiu ao impeachment de Dilma Rousseff nas ruas do país.Logo após a votação do Senado, no início da tarde desta quarta-feira (31), houve buzinaços no Morumbi e em Higienópolis, bairros nobres de São Paulo. Na Vila Madalena, fogos de artifício foram soltos. No Mercadão, no centro, pessoas comemoraram a cassação.

Em Brasília, militantes que acompanharam a votação no Palácio do Alvorada lamentaram a destituição de Dilma.
Em Porto Alegre, foram ouvidos buzinaço e foguetório em bairros nobres como Bela Vista e em Moinhos de Vento, onde ocorreram protestos organizados pelo Movimento Brasil Livre e Vem Para Rua ao longo do último ano.
Em Fortaleza, cidade que elegeu Dilma Rousseff com mais de 70% dos votos válidos em 2014, moradores de vários bairros relataram ouvir fogos de artifício logo após o resultado na votação no Senado. Na noite anterior, o protesto a favor da petista contou com poucos participantes.
Também foram ouvidos buzinaços e foguetórios no centro de Belo Horizonte e, de forma rápida, na região central do Recife.

Renan vota 'sim' pelo impeachment e 'não' para inabilitação; veja todos

Um total de 16 parlamentares favoráveis ao afastamento foram contra a inabilitação da ex-presidente a cargos públicos; outros três se abstiveram



Um total de 16 senadores votaram, na tarde desta quarta-feira (31), a favor do impeachment e contra a inabilitação para exercer cargos públicos da agora ex-presidente Dilma Rousseff. As informações são do G1.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi um dos parlamentares a divergir nas decisões. Ele vinha manifestando resistência em assumir um voto contra Dilma.
A primeira votação registrou 61 votos a favor do afastamento definitivo e 20 contra; em seguida, 42 parlamentares se manifestaram favoráveis à manutenção dos direitos da ex-presidente de se candidatar a cargos eletivos, contra 36 contrários e 3 abstenções.
Dos 81 senadores, 16 decidiram pela destituição, mas não pela inabilitação de exercer cargos públicos. Confira todos:

Mídia internacional repercute 'fim de era' Dilma Rousseff

Jornais citam 'fim de era' com saída da petista

© Reprodução The Guardian


A imprensa internacional deu um grande destaque a destituição da presidente Dilma Rousseff pelo Senado nesta quarta-feira (31) e o juramento do novo mandatário, Michel Temer.   

O jornal norte-americano "The Washington Post" informou que o Senado votou com maioria "esmagadora" pela saída de Dilma, sendo o ponto final de "um longo processo que dividiu o país". O "The New York Times" citou que os senadores brasileiros "expulsaram" a então presidente "O Senado cassou Dilma Rousseff, primeira mulher presidente do Brasil, e a tirou do escritório para o resto do seu mandato, a pedra angular de uma luta de poder que consumiu a nação durante meses e derrubou um dos mais poderosos poderosos partidos políticos do hemisfério", ressaltou.   
O italiano "La Repubblica" explicou para seus leitores sobre a votação desta quarta-feira e disse que "Rousseff deixa assim definitivamente o cargo e a principal economia latino-americana, que muda de líder: Michel Temer assumirá como o 37º presidente da República brasileira".   
O "Corriere della Sera" ressaltou a votação e a manutenção dos direitos políticos de Dilma e lembrou que Temer "guiará o Brasil até o fim de 2018, quando ocorrerão as próximas eleições presidenciais".   
O site do jornal britânico "The Guardian" fez um série de matérias para explicar todo o processo de impeachment e disse que "a primeira mulher presidente do Brasil" foi afastada e pôs fim "aos 13 anos do poder do Partido dos Trabalhadores".   
Já o francês "Le Monde" citou que o julgamento final "foi uma maratona de dezenas de horas de debate técnico e apaixonado" e fez um perfil de Michel Temer, destacando que ele é "tão impopular quanto sua antecessora" e citando que a posse terá que "ser rápida" porque ele viajará para a China para participar do G20.   
Com o título de "Dilma deposta definitivamente", o espanhol "El País" citou que a saída da presidente "culmina assim a mudança de governo mais traumática e esquizofrênica das últimas décadas".   
O jornal argentino "Clarín" destacou que "chegou ao fim uma era", lembrando o fim do ciclo dos presidentes do Partido dos Trabalhadores (PT) no Brasil.   
"Dilma Rousseff, a quarta presidente em 31 anos de democracia, foi definitivamente afastada do governo. Mesmo com os alertas realizados pela atual oposição de que está perante a um 'golpe parlamentário', 61 senadores votaram a favor de sua saída.   
Bastavam 54", disse o jornal. Com diversas matérias em sua capa, o também argentino "La Nación" afirmou que "após nove meses de um polêmico, intenso e dramático processo de impeachment, o Senado do Brasil aprovou por 61 votos a 20 a destituição". O portal ainda destacou que o país "segue em recessão" econômica e fez uma trajetória política de Dilma Rousseff. (ANSA)

Jean Wyllys 'rasga' seu título após impeachment de Dilma

O Senado Federal votou por 61 a 20 pelo impedimento da ex-presidente

© Reprodução Facebook

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) postou há pouco uma foto de um título de eleitor rasgado, em protesto ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

O Senado Federal votou por 61 a 20 pelo impeachment de Dilma. Mesmo com a votação contra, Dilma conseguiu manter seus direitos políticos e não ficará inelegível por oito anos, como aconteceu com o também impedido em 1992 Fernando Collor. Leia abaixo sua mensagem:

Impeachment: “Brasil vive um dia histórico”, diz Fiesp

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil
Declarado apoiador do impeachment, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, considerou a aprovação do afastamento de Dilma Rousseff pelo Senado “um dia histórico” para o país, que marca “o fim de um longo e desgastante processo”.

“O processo terminou. Agora é hora de virar a página, deixar as diferenças para trás, arregaçar as mangas e, de braços dados, reconstruir o Brasil”, diz Skaf.

Por meio de nota enviada à imprensa, ele disse que o processo de impeachment acirrou o debate político no Brasil e provocou a divisão do país. “Amizades foram desfeitas. Familiares brigaram. O Brasil se dividiu”, diz a nota.

Segundo Skaf, a economia vive seus piores dias, com desemprego atingindo 12 milhões de pessoas e levando ao fechamento de “mais de 100 mil lojas e quase 10 mil fábricas”. Mas, segundo ele, a confiança do brasileiro está sendo retomada.
“A reconstrução do Brasil demandará grande esforço da sociedade. O ajuste fiscal é a mãe de todas as reformas. O governo deve controlar seus gastos, eliminar os desperdícios e combater a corrupção. O equilíbrio fiscal deve ser feito sem aumento de impostos. Os brasileiros não admitem aumento de impostos”, afirmou.

Teto para os gastos públicos

Para ele, o Congresso deve ser rápido em aprovar a proposta de emenda constitucional que institui um teto para os gastos públicos, limitando-o à inflação do ano anterior. “Não há alternativa. Se tivéssemos aprovado o teto há dez anos, a dívida pública, que hoje é de quase R$ 4 trilhões, estaria em R$ 700 bilhões, ou seja, seis vezes menor. Não gastaríamos os R$ 500 bilhões de juros por ano, e a taxa de juros poderia ser igual à do resto do mundo”, disse.

O presidente da Fiesp também cobrou urgência na reforma da Previdência, a diminuição da taxa de juros, o aumento da oferta de crédito e o destravamento das obras de infraestrutura do país, “acelerando as concessões e Parcerias Público-Privadas (PPPs)”.

“Nos últimos anos, o Brasil andava como um trem descarrilado. Chegou a hora de voltar aos trilhos da confiança, do desenvolvimento, da gestão eficiente, da boa governança, do crescimento e da geração de empregos e riquezas para o país. Os desafios são grandes, as medidas necessárias são complexas e os resultados serão obtidos com o tempo. O novo governo chega com um voto confiança da nação. Mas deve, com a ajuda de todos, ser firme no esforço diário pela reconstrução do nosso Brasil”, finalizou.

Edição: Kleber Sampaio

Chás Diuréticos

Chás diuréticos: uma excelente opção para quem sofre com os inchaços e dores causados pela retenção de líquidos. Veja também a receita do chá da Luciana Gimenez. 

Chá verde para retenção de líquidos
A retenção de líquidos é a acumulação excessiva de água no organismo. O problema atinge principalmente as mulheres no período pré-menstrual. O acúmulo de líquidos causa mal estar e inchaço nas mãos, pernas e tornozelos. Também é comum que o inchaço seja acompanhado de dores na cabeça e no peito, aumento de pressão e irritação. As mulheres com retenção de líquido parecem ter ganhado peso, sem motivo aparente, principalmente em casos de retenção hídrica generalizada, com aumento da região abdominal e toráxica.
O acúmulo de líquidos pode ser causado por vários motivos. Entre os principais estão: o mau funcionamento dos rins; problemas circulatórios, especialmente do sistema linfático; consumo elevado de sal; alterações no metabolismo decorrentes da menstruação ou gravidez.
Algumas medidas simples ajudam a reduzir os inchaços motivados pela retenção de líquidos. Por incrível que pareça, beber água é uma dessas medidas. A água estimula o funcionamento dos rins, ajuda a eliminar toxinas e melhora o sistema circulatório. Também é importante praticar exercícios físicos regularmente e evitar alimentos com muito sal e sódio.
Uma dieta equilibrada também é fundamental para a eliminação dos líquidos pelo corpo. Alguns alimentos, como melão, salsão, aspargo, rúcula, aipo, almeirão e pepino funcionam como diuréticos naturais, ou seja, ajudam o organismo a se livrar da água acumulada.

Candidato de Natal incita violência contra mulheres caso seja eleito para a Câmara

TRE-RN afirma que Jaufran Siqueira, do PMN, será notificado e pagará multa


Jornal do BrasilEduardo Miranda
Integrante do Partido da Mobilização Nacional (PMN), o candidato a vereador na Câmara de Natal, no Rio Grande do Norte, Jaufran Siqueira incita, em sua página de campanha eleitoral no Facebook, a violência contra mulheres que militam na causa feminista, caso seja eleito na capital. Na imagem publicada de uma casa em chamas, há a frase "Isso é o que vai acontecer com as feministas quando Jaufran 33123 foi eleito".
A postagem provocou muitas críticas. Alguns internautas informaram, no espaço destinado aos comentários, que a incitação ao crime foi denunciada ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN). O artigo 243 do Código Eleitoral afirma que não será tolerado "incitamento de atentado contra pessoa ou bens".
Em sua página, Jaufran Siqueira, do PMN, sugere a morte de feministas, caso seja eleito
Em sua página, Jaufran Siqueira, do PMN, sugere a morte de feministas, caso seja eleito
Jornal do Brasil entrou em contato com o tribunal eleitoral do Rio Grande do Norte, que confirmou que a página pertence a Jaufran Siqueira. O candidato foi notificado nesta terça-feira (30) por e-mail sobre a ilegalidade da publicação e o caso será levado a uma juíza eleitoral nesta quarta-feira (31). Após a notificação por correspondência, o candidato do PMN terá até 48 horas para retirar a postagem e poderá ser multado em até R$ 10 mil.
Na tarde desta terça-feira (30), Jaufran voltou a publicar a mesma imagem, agora em tom de ironia: "Natal: uma cidade em que as piadas precisam ser explicadas. Sexta passada, 26, publiquei nas minhas redes sociais um postcard em formato de meme, onde eu, utilizando de humor, mostro minha oposição ao movimento feminista".
Radicalmente contra o que ele chama de "ideologia de gênero" e favorável à "escola sem partido", Jaufran é corretor de imóveis e tem 25 anos.

Procon Fortaleza divulga pesquisa mensal de preços em supermercados da capital



POR 
O Procon Fortaleza finalizou a pesquisa de preços do mês de agosto e constatou um aumento médio de 1,85% no preço médio dos produtos de primeira necessidade à disposição dos consumidores de Fortaleza em comparação à pesquisa do mês de julho. Em agosto, os 45 itens pesquisados custaram, em média, R$ 282,75. Em julho, os mesmos produtos custaram em média R$ 277,61.

A pesquisa revela que 34 itens pesquisados apresentaram aumento no preço médio, 12 apresentaram baixa no preço médio e apenas o feijão carioca não sofreu alteração no preço médio. Confira a pesquisa completa:  http://goo.gl/cyib8c.

Os aumentos foram puxados, principalmente, pelos alimentos e produtos de higiene pessoal. A cebola teve variação de 213,48% correspondente a R$ 1,90, com média de preço de R$ 1,82, o quilo. O pimentão teve variação de 192,20% e o alho de 159,26%. Entre os alimentos que diminuíram de preço, destaque para a carne bovina de 2ª, que teve preço médio de R$ 12,48 (-7,96%); o frango (-7,90%) e a margarina (-7,43%).

Entre os produtos de higiene pessoal, a maior variação foi do creme dental (146,97%) e papel higiênico (137,45%). Já os produtos que sofreram redução, apenas o shampoo e o desodorante masculino tiveram redução, respectivamente, de -1,99% e -1,48%.

Mais de 40% dos ingressos da Paralimpíada são vendidos

A sete dias para a abertura da competição, um milhão de entradas foram comercializadas

© Reuters

A venda de ingressos para os Jogos Paralímpicos superou na última segunda-feira (29) a marca de um milhão de entradas, dando sequência à grande procura registrada nos últimos dias. Faltando sete dias para a cerimônia de abertura, restam cerca de 1,5 milhão de entradas disponíveis. Os Jogos Paralímpicos serão realizados de 7 a 18 de setembro.

De acordo com o diretor de Ingressos do Comitê Rio 2016, Donovan Ferretti, é muito significativo "termos passado da marca de um milhão de ingressos vendidos".
“Isso mostra que os brasileiros estão se engajando com os Jogos Paralímpicos. Temos visto filas em nossas bilheterias e já é possível sentir o clima dos jogos tomando conta da cidade. Ainda há muitas opções de entradas para ver de perto esses atletas incríveis e inspiradores e o melhor jeito de comprá-las é através do site de ingressos.”

Temperaturas ameaçam humanidade cada vez mais, dizem cientistas

O aquecimento global que está aumentando a ritmos extremamente altos, ameaçando a Terra e a humanidade


Eis o que diz Gavin Schmidt, diretor do Instituto Goddard para Estudos Espaciais da NASA. Segundo estimativas, desde outubro de 2015 cada mês tem sido recorde em termos de temperatura. Nos últimos 100 anos, as temperaturas têm sido dez vezes superiores se comparadas com o milénio anterior.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, o cientista revela que os últimos 30 anos foram excepcionais, destacando que não foi registrado algo igual em 1.000 anos. Quanto aos próximos 100 anos, as previsões da NASA estão longe de ser positivas. A agência aponta que as temperaturas serão 20 vezes superiores à média histórica. No ano passado a comunidade internacional se comprometeu a estabelecer um limite máximo de 1,5 graus Celsius no âmbito do Acordo de Paris. Neste contexto, segundo o pesquisador, para isso será necessário reduzir as emissões de dióxido de carbono, o que parece uma meta inatingível.
Ultrapassar os limites estabelecidos de temperatura poderá provocar consequências graves, devido ao degelo polar, seca, entres outros fenômenos da natureza, e causar enormes danos aos países em desenvolvimento. Neste sentido, é importante que o mundo diminua a dependência dos combustíveis fósseis, alertam cientistas. Com informações do Sputnik. 

Veja o roteiro da sessão final do julgamento de Dilma

Para o impedimento definitivo, são necessários ao menos 54 votos entre os 81 senadores

© Reprodução / Agência Senado

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, confirmou o início da sessão final do impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, para quarta-feira (31), para as 11h. Para o impedimento definitivo, são necessários ao menos 54 votos entre os 81 senadores.

A sessão começa com a leitura, por Lewandowski, de um relatório com o resumo das acusações, da defesa e das provas. Depois, 4 senadores poderão se manifestar, sendo 2 a favor do impeachment e 2 contra, por no máximo 5 minutos cada um. O tempo poderá ser dividido por mais senadores, se houver acordo entre eles.
O último ato antes da votação é a leitura, por Lewandowski, da seguinte pergunta:
"Cometeu a acusada, a Senhora Presidente da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo oito anos?"
Após o fim da votação, Lewandowski escreve e lê a sentença e pedirá que todos os senadores a assinem. O documento será publicado na forma de uma resolução. A acusação e a defesa serão informadas oficialmente do resultado e o presidente interino Michel Temer comunicado.
Se Dilma for absolvida, ela será imediatamente reabilitada ao mandato, do qual está afastada desde maio, voltando ao exercício do cargo. Se for condenada, fica destituída e impedida de concorrer a qualquer cargo político pelos próximos 8 anos.

Lula e Dilma tentam conseguir últimos votos contra impeachment

Nos bastidores, segundo o jornal, Lula procurou os senadores Wellington Fagundes (PR-MT), Vicentinho Alves (PR-TO) e o ex-presidente do PR, Valdemar Costa Neto, para tentar reverter a situação

© Reuters
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff estão fazendo suas últimas investidas, em dois núcleos de senadores, para tentar reverter o processo de cassação definitiva do mandato da presidenta afastada. Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, apesar das tentativas, o balanço não é positivo.

Nos bastidores, segundo o jornal, Lula procurou os senadores Wellington Fagundes (PR-MT), Vicentinho Alves (PR-TO) e o ex-presidente do PR, Valdemar Costa Neto, para tentar reverter a situação, sem muito sucesso, uma vez que Vicentinho se declara a favor do impeachment e Fagundes prefere não revelar seu voto. Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia de Dilma, também disse que seria "muito difícil" mobilizar senadores do estado para apoiarem a presidenta.
Em reunião com Dilma e o presidente nacional do PT, Rui Falcão, bem como com integrantes dos movimentos sociais e ex-ministros do PT, o grupo fez um balanço sobre o fim do processo.

O que fazer hoje?


O que fazer hoje

Mais um dia, todas as dificuldades e compromissos logo despertam em nossas mentes, mal nossos olhos se abrem.
Nossa cabeça, entorpecida pelo sono e pelo volume de coisas que temos que enfrentar, clama por voltar ao travesseiro e afundar num desejo de não mais existir.
Mas… não dá!
O que fazer?
Vamos experimentar algo diferente para sair desse desconforto matinal?
Antes de mais nada, precisamos treinar para que, logo ao acordar, lembremos de agradecer por mais um novo e belo dia ter nos acolhido. Agradecer a vida que mansamente vai despertando os nossos sentidos. Agradecer.
A gratidão nos liga às bênçãos da vida e à força do existir.
Quando você sente gratidão pelo que tem é como se estivesse semeando bênçãos. Essas sementes logo germinarão no jardim de sua vida, colorindo e perfumando suas futuras manhãs, e logo você estará colhendo alegria e vida em seus dias.
Simples assim.
Bom dia!
José Batista de Carvalho

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK