PROCURANDO POR ALGO?

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Corpo de Bombeiros alerta para os perigos do gás de cozinha

POR CEARÁ AGORA - 
Um incidente recente chamou a atenção dos moradores de Fortaleza. Num prédio no bairro Passaré, duas pessoas sofreram queimaduras após uma explosão decorrente de um vazamento de gás prolongado. Segundo moradores, há pelo menos três dias o cheiro característico do mercaptan incomodava a vizinhança. Por volta das 8 horas da manhã, num dos apartamentos, onde o ar já estava saturado, o gás explodiu, destruindo portas, janelas, móveis e eletrodomésticos. O morador da unidade foi conduzido ao IJF com queimaduras de 1º e 2º graus. Alguns vizinhos sofreram cortes devido aos estilhaços de vidros projetados para longe pelo impacto.

Apesar de não serem muito frequentes, explosões causadas por vazamento de gás são uma ameaça que não pode ser desprezada. Seu potencial destrutivo é enorme e o material combustível, concentrado sob alta pressão dentro dos botijões de gás, pode ser encontrado nos lares de quase todos os cearenses. Falhas no sistema de vedação, causando vazamentos, são o tipo de ocorrência mais comum atendida pelo Corpo de Bombeiros.

“Esse tipo de ocorrência, que nós chamamos de GLP sem fogo, costuma mobilizar nossas viaturas várias vezes todos os dias. Normalmente o problema está no anel de vedação, que quebra facilmente se for apertado demais, ou nos componentes que conduzem o gás do botijão ao fogão, que são a borboleta e a mangueira, que têm data de validade e precisam ser trocadas periodicamente”, explica o coordenador operacional do CBMCE, Coronel Francisco William Lopes Rodrigues.
Mas para evitar o risco de um “GLP sem fogo” evoluir para um “GLP com fogo”, é preciso adotar algumas medidas simples, mas muito importantes. Antes de tudo, recipientes de armazenamento de gás devem estar posicionados sempre fora de casas e apartamentos, em locais ventilados, onde o gás possa circular naturalmente em caso de vazamento. Além disso, na hora de trocar o botijão, deve-se evitar o uso de força excessiva. Basta girar a borboleta com as próprias mãos até o limite do sistema de rosqueamento. Testar a vedação do equipamento com fósforos ou isqueiros acesos é uma prática fortemente desaconselhada. Para este fim, basta usar água com sabão. A formação de bolhas é tão eficiente quanto o fogo para revelar possíveis vazamentos, mas incomparavelmente mais segura.
Porém, se mesmo com todos esses cuidados, o cheiro de gás for perceptível no ambiente, o Corpo de Bombeiros deverá ser acionado. “A primeira medida é garantir a circulação do gás. Se o recipiente não estiver num local aberto e ventilado, é importante levá-lo para fora de casa. Não se deve acender ou ligar nenhum equipamento elétrico onde se possa sentir o cheiro do gás. Eles podem gerar faíscas ou centelhas capazes de iniciar uma explosão. No mais, é aguardar a chegada de uma de nossas guarnições para verificar qual a medida a ser adotada”, esclarece o coordenador da Coordenadoria de Atividades Técnicas do CBMCE, Coronel Luís Eduardo Soares de Holanda.
Fonte: SSPDS

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK