PROCURANDO POR ALGO?

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Suspeitos de canibalismo que vendiam empada com carne humana vão a júri popular nesta quinta-feira


Uma das suspeitas, Isabel Cristina, confessou que vendia salgados recheados com carne das vítimas pela região
Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)
Atualizado em 13/11/2014 11:01:08
Jorge Beltrão Negromonte, Isabel Cristina (foto) e Bruna
Cristina  viviam triângulo amoroso com  (Foto: Ascom/PC)
O trio acusado de matar, esquartejar, comer e fazer salgados com restos mortais de três mulheres em Pernambuco vai a júri popular nesta quinta-feira (13). Jorge Beltrão Negromonte da Silveira,  52 anos, Isabel Cristina Torreão Pires,  53, e Bruna Cristina Oliveira da Silva,  28, estão presos desde 2012, quando os crimes foram descobertos. 

Eles confessaram os crimes e disseram se tratar de uma “missão” espiritual. O trio responde por ocultação de cadáver e homicídio quadruplamente qualificado (por motivo fútil, meio cruel, sem chance de dar defesa à vítima e para assegurar a execução, ocultação e impunidade de outro crime).

Descoberta
O caso veio à tona em abril de 2012, quando a polícia encontrou na casa de Isabel, Jorge e Bruna  dois corpos enterrados no quintal. Os três viviam um triângulo amoroso. Isabel Cristina confessou que vendia salgados recheados com carne das vítimas pela região. 

Além das duas mortes em Garanhuns, a polícia informou acreditar que o grupo é autor de outro crime, ocorrido em Olinda, em 2008. Segundo o delegado, o trio teria criado uma seita macabra, cujo objetivo seria “conter o avanço da humanidade". 

Leia também:
Pernambuco: suspeitos de canibalismo confessam mais 6 mortes
IML do Recife libera restos mortais de vítimas de suspeitos de canibalismo

“Segundo os envolvidos, eles participam de uma seita chamada Cartel. E que teria uma seita contrária que seria chamada de “M” (das "mulheres impuras"). Toda a culpa de eles estarem presos seria porque “M” interferiu nos planos deles”, revelou o delegado Wesley Fernandes. Ele também explicou como o grupo escolhia as vítimas. “Segundo eles, ao passar pelas pessoas, uma entidade alertava que eram pessoas más”, disse.

A polícia também achou a certidão de nascimento da criança de 5 anos que vivia com os suspeitos. Ela seria filha de uma mulher assassinada em Olinda e teria presenciado os assassinatos e revelado detalhes para a polícia.

Em vídeo, suspeita fala sobre o crime:


FONTE: CORREIO 24 HORAS

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK