PROCURANDO POR ALGO?

domingo, 9 de novembro de 2014

Do Jacaré ao Bodysurfe

PAIXÃO PELO MAR

Do Jacaré ao Bodysurfe

09.11.2014

Surfar apenas com as próprias mãos é um hábito que tem conquistado cada vez mais adeptos no Ceará

Image-0-Artigo-1737107-1
O grupo Cabras de Peito foi lançando simbolicamente no último dia 1º, na Praia de Iracema. Os principais equipamentos utilizados nessa modalidade são as nadadeiras e os handguns (ou miniaturas de pranchas)
FOTOS: NATINHO RODRIGUES
Image-1-Artigo-1737107-1
Image-2-Artigo-1737107-1
Nos últimos tempos, a cultura dos esportes em geral tem se disseminado por toda sociedade. Hoje em dia, é comum ver pessoas exercitando-se ao ar livre ou praticando esportes radicais outdoor. Mas, como todos sabemos, nem sempre foi assim.
Até bem pouco tempo atrás praticar esportes era tido por muitos como "coisa para desocupados". E era assim que a maioria dos esportistas eram vistos, sobretudo os adeptos dos boardsports. Por exemplo: ver uma pessoa saindo para surfar em plena semana era quase um sacrilégio. Para a sociedade, era inadmissível que alguém praticasse uma atividade física ao invés de estar trabalhando em plena luz do dia. Por conta disso, muitos abandonaram seus esportes e outros, pior ainda, tiveram seus sonhos implacavelmente castrados pelo preconceito.
Entretanto, nos últimos anos, com o avanço da ciência e dos meios de comunicação, as pessoas passaram a enxergar as atividades físicas como algo imprescindível para a manutenção de uma vida saudável. E o fortalecimento dessa nova mentalidade abriu espaço para a instalação de uma nova cultura que favoreceu a prática de esportes como skate, kitesurfe, windsurfe etc.
Berço do esporte
Outros esportes têm aproveitado essa onda de saúde e boa-forma para reclamar seu lugar ao sol. Como é o caso do bodysurfe. Talvez você não esteja familiarizado com esse nome, mas com toda certeza já tentou fazer o que seus adeptos dominam com maestria, afinal de contas, quem nunca pegou um "jacaré" na praia? Pois é. Lembro bem quando tive contato pela primeira vez com esse esporte. O local foi a Praia de Iracema, lugar que mantém uma estreita ligação com as raízes dessa prática aqui no Ceará (não que o bodysurfe, ou surfe de peito, não tenha outros locais de referência no Estado, mas, a Praia de Iracema é sem dúvida o berço de muitos representantes legítimos dessa arte).
O referido fato ocorreu nos idos de 1994. Um amigo de faculdade, o Riedney, sabendo que eu pegava onda, me chamou para surfar em um pico inédito para mim, a Praia do Zero Hora. Ele tinha me dito que surfava de peito, mas eu não o estava levando aquilo muito a sério.
Contudo, quando cheguei à praia e vi meu amigo pegar ondas incríveis apenas com a ajuda de um par de pés de pato fiquei impressionado. Naquele momento, conheci o bodysurfe e suas infinitas possibilidades.

Agora, vinte anos depois daquele dia, eu estava de volta à Praia de Iracema, bem próximo do Zero Hora, relembrando aquela manhã chuvosa. Só que dessa vez não havia apenas um herói na água. Na verdade, um grande e eclético grupo estava reunido para pegar ondas e, principalmente, fundar o que eles batizaram de 'Cabras de Peito Bodysurf Clube".
Magia do surfe entre amigos é resgatada
O dia escolhido para a criação simbólica dos Cabras de Peito, o primeiro clube de bodysurfe cearense, foi um sábado, dia 1º de novembro, ocasião que reuniu cerca de duas dezenas de praticantes, entre eles homens e mulheres de todas as idades. E apesar da presença marcante de uma nova e empolgada geração, destacava-se em meio ao grupo um senhor de 55 anos: Getúlio Oliveira."Há dois anos comecei a praticar natação em águas abertas. Foi aí que conheci o Renato Lima, que me convidou a experimentar o bodysurfe. A identificação com o esporte e com o grupo foi instantânea", diz Seu Getúlio.
Já para Carlos Bezerra, um dos criadores do grupo, o bodysurfe é muito mais que um esporte. "Quando pensamos em criar o Cabras de Peito queríamos apenas resgatar a cultura de pegar 'jacaré', de reunir os amigos para pegarmos ondas juntos, já que com pranchas não é seguro que duas ou mais pessoas peguem a mesma onda", define.
'Homem-peixe'
Pensando na evolução do bodysurfe como desporto, alguns entusiastas do esporte estão trazendo para o Ceará o maior nome do esporte na atualidade: Henrique Pistilli, o "Homem-Peixe", para ministrar um curso sobre a modalidade. Ele tem ganhado notoriedade nos últimos tempos após virar protagonista de um programa em canal fechado onde ele percorre o Brasil e o mundo praticando bodysurfe e apresentando para as pessoas a cultura e as técnicas do esporte.
Mais informações:
Confira detalhes desta e de muitas outras aventuras que desvendam o mundo dos esportes radicais, além de fotos e vídeos, no blog Manobra Radical do Diário do Nordeste: http://glo.Bo/1oD6ty7
George Noronha
Especial para o Jogada
FONTE:
DN

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK