PROCURANDO POR ALGO?

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Nova Miss Ceará, Luana Lobo já trabalhou como modelo em 18 países e fala 4 idiomas

Desde os 16 anos, a modelo já passou por países como China, Taiwan e Coreia do Sul. Agora, prepara-se para disputar o título de Miss Brasil
A Miss Ceará 2019 se prepara para disputar o Miss Brasil
 2019 e seguir o exemplo de Melissa Gurgel
 (Foto: Thales Dídimo/Tribuna do Ceará)
A cearense Luana Lobo, de 24 anos, foi eleita Miss Ceará 2019, na última sexta-feira (15), ao representar o município de Maracanaú na disputa pelo título de mulher mais bonita do Estado. Mas a sua experiência não se resume apenas ao concurso.

Desde os 16 anos, a jovem trabalha como modelo. Durante esses oito anos, já conheceu 18 países e modelou para grandes marcas nacionais e internacionais. Agora, Luana se depara com mais um desafio: a de representar o Ceará no concurso Miss Brasil deste ano.

Foram 16 misses representando várias cidades cearenses para ganhar o título de mulher mais bonita do Estado. Foi a Miss Maracanaú, Luana Lobo, quem se destacou no concurso. O título foi uma surpresa para ela e uma honra por representar o Ceará em São Paulo, na fase nacional do evento.

“No momento em que recebi a notícia, eu não acreditei. Estou acreditando agora que estou com a faixa e com a coroa. Foi incrível”, destaca. A cerimônia do Miss Ceará Be Motion aconteceu na noite desta sexta-feira (15), no Teatro RioMar Fortaleza.

Após o evento, resta-lhe algumas semanas para se preparar para o Miss Brasil, que está previsto para acontecer no dia 9 de março, em São Paulo. Luana precisa foca na dieta, na postura durante as passarelas e também nos cuidados estéticas. Tudo para se destacar na fase nacional e seguir o exemplo da cearense Melissa Gurgel, a Miss Brasil de 2014.

“Eu quero muito poder trazer o título de Miss Brasil para o Ceará como Melissa (Miss Brasil 2014) fez. A gente está preparando tudo direitinho para arrasar muito”, diz confiante.

LEIA TAMBÉM: Miss Maracanaú Luana Lobo é eleita Miss Ceará 2019

Oito anos no exterior

Entretanto, Luana não se resume apenas ao título de Miss Ceará 2019. A cearense também teve suas experiências em 18 países como modelo. Incentivada pela mãe, saiu do Ceará com apenas 16 anos para construir sua carreira de modelo. A aposta deu certo.

Nesses oitos anos, Luana tem um currículo extenso. Já trabalhou como modelo para marcas internacionais, como Boticário, Head & Shoulders, Samsung e Honda.

“Minha mãe que levou para esse mundo e eu fui conhecendo e gostando cada vez mais. Eu tive a chance de viver de vários países e suas culturas. Para mim, essa é a parte mais incrível que é o conhecer e abrir a cabeça”, destaca a Miss Ceará 2019. A vivência no exterior lhe deu a oportunidade de falar três idiomas além do português.
LEIA MAIS EM...

Miss Maracanaú Luana Lobo é eleita Miss Ceará 2019

A nova Miss Ceará, Luana Lobo, tem 24 anos e é modelo. A partir de agora, ela começa a se dedicar à disputa do Miss Brasil.
Por Tribuna do Ceará / Foto Divulgação -
A Miss Maracanaú, Luana Lobo, foi eleita Miss Ceará 2019 e vai representar o Estado no Miss Brasil deste ano. A cerimônia do Miss Ceará Be Motion aconteceu na noite de sexta-feira (15) no Teatro RioMar Fortaleza. O título foi disputado por 16 misses de várias cidades cearenses.

A coroa e o título foram recebidos das mãos da Miss Ceará 2018, Teresa Santos, que ficou em 3° lugar no Miss Brasil 2018.

Luana Lobo tem 24 anos e é modelo. A miss já morou e trabalhou em 18 países. A vivência pelo mundo a habilitou a dominar outros três idiomas além do português: inglês, espanhol e mandarim. Em 2019, decidiu disputar o Miss Ceará.

A partir de agora, ela começa a se dedicar ao Miss Brasil 2019. A 65ª edição do concurso acontece 9 de março, no São Paulo Expo, na cidade de São Paulo.

O 2° lugar ficou com a Miss Pacajus, a modelo Ângela Alves. O terceiro lugar é da Miss Cariri, a estudante de Direito Jacqueline Braga. A Miss Tianguá, Deyse Martins, foi eleita Miss Simpatia, e a Miss Redenção, Kamylla Nahyra ganhou o título de Miss Be Motion.

Esta é a terceira vez que o município de Maracanaú conquista o título máximo da beleza feminina cearense – a primeira vencedora foi Soraya de Paula, em 1992, e a segunda foi Melissa Gurgel, em 2014, que, naquele ano, venceu ainda o Miss Brasil e ficou entre as 15 mulheres mais belas do Mundo, no Miss Universo.

O Miss Ceará, realizado desde 1955, promove a beleza das misses, destacando o que carregam de mais encantador da cultura cearense. A cerimônia inclui desfiles com trajes casual, de banho e de gala. O espetáculo será transmitido, na íntegra, no dia 23 de fevereiro, pela NordesTV/Band, a partir das 22h, para todo o Ceará. Com informações da Tribuna do Ceará.

CARMOSITA... MESMO APOSENTADA, NÃO SE AUSENTA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS E POLÍTICOS DE NOSSA ARACOIABA...

RUFINO SILVA AO LADO DA CARMOSITA
ESSA SENHORA É MINHA AMIGA, TEM HISTÓRIA. CARMOSITA... MESMO APOSENTADA, NÃO SE AUSENTA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS E POLÍTICOS DE NOSSA ARACOIABA... DENTRE ALGUNS PREFEITOS QUE JÁ PASSARAM POR SUA PESSOA, PODEMOS CITAR, SR. JOAQUIM DE OLIVEIRA, JOSE GADELHA, AIRTON DE CASTRO, DR. ARY RIBEIRO E O PRÓPRIO DR. VICENTE BASTOS SAMPAIO... ELA TEM REALMENTE HISTORIA. JÁ MERECIA UM BUSTO NA PARTE FRONTAL EXTERNA DA PREFEITURA DE ARACOIABA. FICA A SUGESTÃO... HOJE. NA CÂMARA MUNICIPAL DE ARACOIABA.CE. 20.02.2019. A SERVIDORA MAIS ANTIGA DESTE MUNICÍPIO. DONA CARMOSITA...

Reforma da Previdência: veja a proposta para aposentadoria por incapacidade permanente no INSS

.
Reforma da Previdência: veja a proposta para aposentadoria por incapacidade permanente no INSS. O governo apresentou nesta quarta-feira (20) a proposta de reforma da Previdência, com previsão de mudança mudança na idade mínima para se aposentar e abrangência dos setores público e privado. O texto propõe ainda mudanças no benefício hoje conhecido como aposentadoria por invalidez. Veja quais são:

Como é hoje:
Em caso de aposentadoria por invalidez, a regra de cálculo de benefício é de 100% para todos os casos.
Como pode ficar:
A regra de cálculo do benefício passa a ser de 60%, com adicional de 2% por cada ano de contribuição que exceder 20 anos. O cálculo também leva em conta a média dos salários de contribuição.
O que não muda:
Em caso de invalidez decorrente de acidente de trabalho, doenças profissionais ou do trabalho, o cálculo do benefício não muda. Segue considerando 100%, levando em conta a média dos salários de contribuição.

CÁLCULO DE APOSENTADORIA LEVA EM CONTA EXPECTATIVA DE SOBREVIDA; ENTENDA

A proposta de reforma da Previdência, entregue pelo governo nesta segunda-feira (20) ao Congresso, prevê estabelecer uma idade mínima de aposentadoria, de 62 anos para mulheres e 65 para homens. Essa idade mínima, no entanto, será elevada automaticamente a partir de 2024, e daí em diante a cada quatro anos.
Esse aumento será baseado na expectativa de sobrevida – o tempo que se espera que o brasileiro ainda viva depois de pedir a aposentadoria.
Hoje, a expectativa de vida é usada no cálculo do fator previdenciário, que estabelece o valor das aposentadorias por tempo de contribuição. A fórmula também pode ser usada na aposentadoria por idade, mas somente quando contribui para aumentar o valor do benefício.
A reforma da previdência proposta pelo governo Bolsonaro mantém o fator previdenciário no cálculo da aposentadoria na regra de transição prevista para quem está a dois anos de se aposentar por tempo de contribuição. Na proposta do governo, o trabalhador terá de pagar um “pedágio” de metade do tempo que faltaria para se aposentar. Por exemplo, se faltar dois anos, ele terá de trabalhar mais um ano, ou seja, terá mais 3 anos de trabalho.

O QUE É A EXPECTATIVA DE SOBREVIDA?

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) recalcula anualmente a expectativa de vida ao nascer e a expectativa de sobrevida, ou seja, quantos anos mais espera-se que a pessoa viva para cada faixa etária.
“Diferente da expectativa de vida, que mede quantos anos uma determinada população tende a viver a partir de seu nascimento, a expectativa de sobrevida calcula por quanto tempo as pessoas ainda estarão vivas, após determinada idade”, explica João Badari, advogado de direito previdenciário.
A expectativa de vida não pode ser usada sozinha no cálculo do fator previdenciário principalmente por causa das diferenças regionais. Em estados onde a mortalidade infantil é alta, por exemplo, a expectativa de vida tende a ser menor. Depois de uma certa idade, e principalmente após da aposentadoria, a expectativa de vida tende a ser maior e mais estável – é aí que entra a expectativa de sobrevida.
“Hoje, para o INSS, a expectativa de sobrevida do IBGE é vista como ‘quanto o segurado ainda vai viver para que eu pague benefício para ele’; ela é a base atuarial das projeções realizadas pelo governo nas aposentadorias. Por isso o uso da ‘tábua da mortalidade’”, aplica Badari.
De acordo com o IBGE, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer, considerando-se ambos os sexos, subiu de 75,8 anos de idade, em 2016, para 76 anos, em 2017. Mas, ao atingir 65 anos, por exemplo, a expectativa é que a pessoa viva até os 83,7 anos, pois terá ainda 18,7 anos de sobrevida, por isso, o INSS não considera a expectativa de vida e sim de sobrevida no cálculo da aposentadoria. Veja na tabela abaixo:
Expectativa de sobrevida de acordo com cada idade
Idade atualExpectativa de sobrevida
56 anos25,6 anos
57 anos24,8 anos
58 anos24,0 anos
59 anos23,2 anos
60 anos22,4 anos
61 anos21,6 anos
62 anos20,9 anos
63 anos20,1 anos
64 anos19,4 anos
65 anos18,7 anos
66 anos18,0 anos
67 anos17,3 anos
68 anos16,6 anos
69 anos15,9 anos
70 anos15,2 anos
71 anos14,6 anos
72 anos14,0 anos
73 anos13,3 anos
74 anos12,7 anos
75 anos12,2 anos
76 anos11,6 anos
77 anos11,1 anos
78 anos10,5 anos
79 anos10,0 anos
80 anos ou mais9,6 anos
Fonte: IBGE
De acordo com João Badari, o fator previdenciário foi criado em 1999 “para diminuir as aposentadorias de quem se aposenta com idades baixas, pois o INSS fica por mais tempo pagando benefícios mensais para essas pessoas”. Segundo ele, quanto mais cedo a pessoa se aposenta, por mais tempo ela recebe se for considerada a expectativa de sobrevida estipulada anualmente.
As projeções do IBGE mostram que a expectativa de vida ao nascer cresce a cada ano, com base em projeções demográficas que analisam a população como um todo. E, à medida que a expectativa de sobrevida também sobe, com as pessoas vivendo mais, essa tendência reduz o valor da aposentadoria pelo fator previdenciário. Ou faz com que o segurado tenha de trabalhar mais para ter o mesmo benefício.
Badari explica que o fator previdenciário tem três pilares básicos: idade no momento da aposentadoria, tempo de contribuição e a expectativa de sobrevida calculada pelo IBGE no ano em que a aposentadoria foi requerida.
“Quanto mais novo você for, maior será a sua expectativa de sobrevida e com isso menor será seu benefício. Assim como quanto mais velho você for, menos tempo irá viver, trazendo com isso um tempo menor de recebimento do benefício pago pelo INSS, aumentando o fator previdenciário”, diz.
Mas Badari ressalta que a aplicação da expectativa de sobrevida, base do fator previdenciário, pode tanto levar a perdas como ganhos. Segundo ele, normalmente quando o aposentado tem mais de 65 anos, dependendo do tempo de contribuição, o normal é perder de 20 a 40% do seu benefício. Porém, se o segurado tem 67 anos e 38 de contribuição, o fator previdenciário será de 1,23, ou seja, passa a ter 23% a mais no valor inicial, por ter uma expectativa de vida mais baixa.
Estimativa do consultor atuarial Newton Conde mostra que a elevação na expectativa de vida provocou redução média de 0,77% no valor dos benefícios que começaram a ser solicitados a partir de dezembro do ano passado.
Pelas regras atuais da aposentadoria por tempo de contribuição, se o fator previdenciário for menor do que 1, haverá redução no valor do benefício. Se o fator for maior que 1, haverá acréscimo no valor e, se o fator for igual a 1, não haverá alteração – veja a tabela de cálculo.
Para requerer aposentadoria sem incidência do fator previdenciário, atualmente o segurado pode optar pela regra 86/96 progressiva, que garante benefício integral. Neste caso, a soma entre a idade e o tempo de contribuição no caso das mulheres deve ser de pelo menos 86 anos e no caso dos homens, de 96 anos. Os benefícios do Regime Geral de Previdência Social estão limitados atualmente ao teto de R$ 5.839,45.

PROPOSTA DE TEMER

Badari diz que no governo Temer foi proposto o uso da expectativa de sobrevida como base da idade mínima. “Isso o próprio governo Temer queria, em que subindo a expectativa de sobrevida, haveria aumento na idade mínima”.
Se em 2020, por exemplo, o indicador mostrasse que houve aumento de um ano na sobrevida para as mulheres, passando de 16,8 para 17,8 anos, a idade mínima, que, pela proposta do governo Bolsonaro, é de 62 anos, passaria para 63. O mesmo acontece com os homens: se o índice aumentar de 20 para 21 anos, a aposentadoria, pela proposta, de 65, poderia ser solicitada aos 66 anos.

Bolsonaro entrega proposta de reforma da Previdência ao Congresso nesta 4ª

© Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) entregou ao Congresso na manhã desta 4ª feira (20.fev.2019) a proposta de reforma da Previdência de seu governo.

O texto proporá mudanças no atual sistema de repartição –no qual os trabalhadores ativos arcam com o benefício de quem está aposentado– e ainda a criação de 1 sistema de capitalização, no qual cada trabalhador faz uma espécie de poupança para o futuro.

A aprovação da reforma é vista com grande expectativa pelo governo. Por tratar-se de mudança constitucional, o texto precisará ser votado no plenário das duas Casas em 2 turnos, com os votos de pelo menos 3/5 dos congressistas da Câmara (308) e do Senado (49).

Para a equipe econômica a pressão pela aprovação é tão grande quanto. Com uma agenda de corte de gastos públicos, o time de Guedes começará com o maior –em 2018, os benefícios previdenciários ocuparam 48% das despesas do governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social).

Com a implantação do teto de gastos –determinação constitucional que limita as despesas da União à inflação dos últimos 12 meses–, a revisão da despesa tornou-se esforço prioritário do governo de Michel Temer (MDB) a fim de permitir a redução dos gastos com o setor e a aplicação de recursos, agora limitados, em outras frentes. O texto do emedebista, porém, não chegou a ser votado.

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
AVISO IMPORTANTE!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: josenidelima@gmail.com FAVOR INFORMAR O LINK