PROCURANDO POR ALGO?

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Eu hoje acordei assim...

Foto: Rufino Silva / Facebook

Eu hoje acordei assim... 
Joguei as tristezas de lado, os desencantos que descartei e os sonhos não realizados. Estou tentando sonhar de novo. Nunca é tarde tentar juntar devaneios e de repente recomeçar tudo outra vez, naquilo que sonhamos e tanto perdemos ao meio da estrada. Ninguém se perde no caminho de volta, principalmente quando temos Deus no coração. É hora do recomeço. As vezes sabemos que é tarde. Mas vale a pena tentar de novo. Sonhar é preciso. Amém. Manhã de domingo... 15.09.2019
Era domingo.

RUFINO SILVA / FACEBOOK
Bom mesmo é a gente acordar leve e apos abrir a janela lançar um sorriso de dentro pra fora... Logicamente essa manha se torna mais sublime, sobretudo usar de consciência pura e sem maldade, a palavra perdão e consequentemente esquecer que você perdoou e estar de bem com a vida, consigo mesmo. Nossa mensagem de amor e muito mais de fazer alguém feliz. Amem. Nossa mensagem de hoje... 18.09.2019.

Cai a neblina. A neve cai... La fora vislumbro uma paisagem morna e densa. É o inicio de mais uma manha. Dia de esperança e uma espera onde vejo no infinito a sombra de um novo dia a se arrastar na busca de meus próprios passos... 17.09.2019. 5hs.

LEIA MAIS EM: CRÔNICAS DE RUFINO SILVA

ANP diz que está atenta a cobranças abusivas de combustíveis

Agência pode penalizar postos que praticarem aumentos injustificados
Marcello Casal jr/Agência Brasil
A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou, por meio de nota, que está “atenta” para possíveis cobranças abusivas por combustíveis no Brasil. A cotação internacional do petróleo sofreu uma alta depois de ataques a uma refinaria na Arábia Saudita, na semana passada.

Segundo a nota da ANP, os preços no Brasil são “livres, por lei, em todas as etapas da cadeia: produção, distribuição e revenda.  Diante de denúncias de preços abusivos, a ANP faz ações de campo para confirmar essas suspeitas.  Quando constata a prática de preços abusivos, a agência atua em conjunto com os Procons para penalizar os infratores”.

Na última segunda-feira (16), a Petrobras divulgou  nota informando que também está monitorando a cotação internacional do petróleo, mas que, até aquele momento, não havia previsão de reajustar o preço dos combustíveis.
LEIA MAIS EM...

Proteção de dados pessoais precisa ser ampliada, defende pesquisadora

Marcello Casal jr/Agência Brasil

As ideias de privacidade e proteção de dados foram historicamente construídas com foco no indivíduo e no direito de determinar como suas informações serão disponibilizadas. Mas com o ascenso de uma sociedade em que a coleta e tratamento de dados cresce vertiginosamente, é preciso ampliar essa noção para que tais garantias sejam efetivamente respeitadas.

A proposta foi apresentada pela professora de direito da Escola de Economia e Ciência Política de Londres (LSE) Orla Lynksey, em conferência no 10º Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.Br). O evento é o principal encontro do país na área e reúne hoje e amanhã (18 e 19), em São Paulo, pesquisadores, empresas, reguladores e entidades da sociedade civil para discutir os desafios no tema.

Segundo a professora, as leis de proteção de dados avançaram na definição de alguns direitos dos titulares dos dados, como autodeterminação informativa (controle pelo usuário do que será acessado por outros, segurança (não ter informações acessadas por terceiros indevidamente), estabelecimento de bases legais para o tratamento, a coleta para propósitos específicos, a possibilidade de acesso pelo usuário aos registros de posse de um controlador e a alternativa de retificação destes.

Esses pressupostos estão presentes em legislações como o Regulamento Geral Europeu (GDPR, na sigla em inglês) ou na Lei Geral de Proteção de Dados brasileira (LGPD, Lei Nº 13.709), aprovada em 2018, alterada por uma medida provisória este ano e que entrará em vigor em agosto de 2020 após um período de transição.
LEIA MAIS EM...

Senado aprova PL que regulamenta o fundo eleitoral com alterações

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O Senado aprovou hoje (17) o dispositivo legal que regulamenta o uso do fundo eleitoral para financiamento de campanha dos candidatos a prefeito e vereador nas eleições municipais de 2020. O texto aprovado estabelece que os valores do fundo serão definidos pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), composta por deputados e senadores.

O projeto original, aprovado na Câmara, trazia uma série de alterações polêmicas na utilização dos recursos do fundo, mas essas mudanças foram vetadas pelo relator Weverton Rocha (PDT-MA) após ouvir críticas e manifestações contrárias ao texto vindas de senadores de diversos partidos. Agora, a proposta volta à Câmara dos Deputados, já que a versão aprovada no Senado é diferente da que veio da Câmara.

Reviravota

A aprovação do projeto de lei (PL) em plenário só se confirmou após uma reviravolta. No início da tarde de hoje, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmava que um acordo levaria o tema a ser discutido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) amanhã (18) para, em seguida, ser votado em plenário. No entanto, na reunião de líderes partidários, ficou definido que todo o projeto seria vetado ainda hoje, com exceção do trecho que autoriza o financiamento público de campanha. Assim, uma sessão extraordinária na CCJ, no meio da tarde, votou o novo relatório do pedetista e o encaminhou ao plenário.

Minutos antes da sessão na CCJ, Weverton Rocha afirmou que havia consenso entre os parlamentares em manter apenas o financiamento público com os mesmos valores da eleição passada: “A gente vai rejeitar tudo. Vai ficar apenas o artigo do fundo eleitoral. A instituição do fundo de financiamento eleitoral, com valores a serem definidos na Comissão de Orçamento. Os parlamentares defendem o valor da eleição passada”. O valor do fundo eleitoral em 2018 foi de R$ 1,8 bilhão.

Os parlamentares tem pressa em fixar o fundo eleitoral, especificamente, porque é preciso que o presidente da República sancione a regulamentação até o dia 3 de outubro, um ano antes das eleições municipais de 2020. Caso isso não ocorra, os candidatos em 2020 não poderão usar o fundo eleitoral para financiar suas campanhas.

De volta à Câmara, os deputados terão que decidir entre aprovar a regulamentação do fundo eleitoral como saiu do Senado ou retomar todos os artigos rejeitados, sem exceção. Como Weverton decidiu por um substitutivo, rejeitando todas as emendas propostas na lei de forma aglutinativa, em vez de rejeitar emenda por emenda, os deputados ficaram com pouca margem de alteração no projeto. Eles não poderão, por exemplo, reinserir apenas um trecho específico.

Agressores de mulheres deverão ressarcir custos com atendimento médico

Lei que estabelece a medida está publicada no Diário Oficial da União
.
O agressor de violência doméstica terá que ressarcir ao Sistema Único de Saúde (SUS) os custos médicos e hospitalares com o atendimento à vítima de suas agressões. A Lei nº 11.340, que estabelece a responsabilização, sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (18).

De acordo com o texto, "aquele que, por ação ou omissão, causar lesão, violência física, sexual ou psicológica e dano moral ou patrimonial a mulher fica obrigado a ressarcir todos os danos causados, inclusive ao Sistema Único de Saúde (SUS)". Os recursos arrecadados vão para o Fundo de Saúde do ente federado responsável pelas unidades de saúde que prestarem os serviços de atendimento à vítima de violência doméstica.

O documento diz ainda que os custos com o uso de dispositivos eletrônicos de monitoramento também deverão ser ressarcidos pelo agressor. A portaria determina ainda que os bens da vítima de violência doméstica não podem ser usados pelo autor da agressão para o pagamento dos custos e nem como atenuante de pena ou comutação, de restrição de liberdade para pecuniária.

Segundo o projeto Relógios da Violência do Instituto Maria da Penha (IMP), a cada 7,2 segundos uma mulher sofre agressão física no Brasil.

Emagrecer sem passar fome: saiba mais sobre a dieta volumétrica

Regime faz escolhas inteligentes para garantir a saciedade. Tem até macarrão no cardápio, mas nada de frituras e açúcares
ELLA OLSSON/UNSPLASH
Todo mundo sabe que o segredo para perder peso está no prato. Uma dieta equilibrada, com calorias suficientes para manter o organismo funcionando, mas sem excedentes, é o ideal. No entanto, a reclamação de quem está de regime costuma ser a mesma: “Estou com fome!”.

Pensando em como resolver essa equação, a nutricionista americana Barbara Rolls, da Universidade da Pensilvânia, desenvolveu a dieta volumétrica. A proposta é diminuir as calorias das refeições, mantendo o volume de alimentos ingeridos.

Alimentos integrais, como frutas e verduras, são as estrelas do cardápio por serem ricos em fibras e proporcionarem sensação de saciedade sem adicionar muitas calorias.

O mesmo raciocínio vale para leites e sopas (muita água e pouca gordura) e até os famigerados pão e macarrão têm lugar no processo.

De acordo com a autora, os alimentos podem ser divididos por sua densidade energética (relação entre a quantidade de calorias e o volume ou a massa) em:

Baixíssima, com menos de 0,6 calorias por grama, categoria que inclui vegetais, legumes, a maioria das frutas e sopas;

Baixa, entre 0,6 e 1,5 calorias por grama, que são grãos cozidos, carnes magras, leguminosas, uvas e massas;

Média, de 1,5 a 4 calorias por grama​, que englobam carnes, queijos, molhos, pão italiano e integral;

Alta, entre 4 e 9 calorias por grama​, que são os salgadinhos, bombons, biscoitos, manteiga, batata frita e óleos.

​​Assim, o menu da dieta volumétrica privilegia vegetais, legumes, frutas e sopas. 

Salgadinhos, bombons, biscoitos, manteiga, batata frita e óleos são eliminados.

Cardápio da dieta volumétrica:

Café da manhã – 1 xícara de café com leite desnatado sem açúcar, uma fatia de pão de forma integral com 1 colher de sopa de queijo cottage e 1 xícara de mix de melão, melancia e mamão salpicado com 1 colher de sopa rasa de quinoa em flocos

Lanche – 1 fatia média de abacaxi salpicada com hortelã fresca

Almoço – 1 prato raso de salada de escarola, cenoura crua ralada e abacaxi em cubos. 3 colheres de sopa de arroz integral com pimentões coloridos. 2 colheres de sopa de grão-de-bico refogado com cebola e salsa. 1 filé médio de peixe assado com mix de cogumelos

Lanche – 1 xícara de gengibre com 2 bolachas integrais

Jantar – 1 prato raso de salada de almeirão (uma variedade de chicória), palmito em rodelas e beterraba ralada. 1 pegador de espaguete integral ao sugo com atum em pedaços conservado em água. 2 colheres de sopa de brócolis cozidos com alho e cebola em tiras grossas

Ceia – 1 xícara de gelatina preparada com 1 envelope sabor frutas vermelhas sem açúcar, suco de 1 maçã e de ½ limão, pêssego e morango naturais picadinhos.

​A dieta volumétrica, apesar de não ser muito restritiva, deve ser aconselhada por um profissional, pois é preciso verificar se é adequada ao indivíduo. (Com informações do portal Tua Saúde)

Momentos antes de sair do hospital, o Presidente Bolsonaro concede entrevista ao Jornal da Record.


FONTE DO VÍDEO: 

VEJA MAIS VÍDEOS EM:
Jair Bolsonaro

Dor ao engolir e salivação excessiva são alguns dos sintomas da estomatite

.
A estomatite é uma doença bem comum em crianças que deixa os pais angustiados. Isso por causa das temidas manchas vermelhas que aparecem na mucosa da boca e, em alguns casos, também na garganta. Essas lesões podem se espalhar rapidamente, causando salivação excessiva, dor ao engolir ou ao comer, febre e mau hálito.

Apesar da doença ser mais comum em crianças, atinge também os adolescentes e adultos que não tiveram contato a herpes simples.

A cirurgiã-dentista do Hospital Universitário Professor Edgar Santos da Universidade Federal da Bahia e vinculado à Rede Ebserh, Viviane Sarmento, explica que a estomatite é uma gengivoestomatite herpética primária, infecção viral que atinge a mucosa bucal. É resultado do primeiro contato com vírus da herpes simples. “Como geralmente as crianças ainda não tem o seu sistema imunológico completamente desenvolvido, é muito comum a manifestação física dessa doença”, fala Denise.

Cuidados

Para evitar a estomatite, Viviane destaca que é essencial manter a higiene das mãos e da boca. “Para aliviar a dor é preciso fazer um bochecho sem álcool, alimentos mais macios, muito liquido e analgésico séptico. Em alguns casos, é usado o medicamento antiviral aciclovir, para reduzir a replicação do vírus”, contou ela destacando que o vírus pode levar de 7 a 10 dias para cicatrizar. Além disso, é importante que as crianças bebam líquido para que não haja desidratação.

Diagnóstico

O diagnóstico leva em conta a aparência e a localização das lesões e os sintomas. Em alguns casos, pode ser necessário recorrer a exames de laboratórios para identificar o tipo do vírus ou determinar outras possíveis causas da doença.

"A DONA DO PEDAÇO" - Resumo Quarta-feira capítulo completo 18/09 - Novela 18 de Setembro de 2019


FONTE DO VÍDEO: 
#ADonaDoPedaço
CONFIRA O QUE ACONTECEU NO CAPÍTULO ANTERIOR: "A DONA DO PEDAÇO" - Resumo Terça-feira capítulo completo 17/09 - Novela 17 de Setembro de 2019

Cagece é multada em mais de R$ 576 mil apenas neste ano

As notificações referentes à qualidade da água ao longo dos nove primeiros meses de 2019 superaram em mais de 50% o número de 2018 inteiro. Já as infrações de todas as naturezas dos últimos sete anos, juntas, chegam a quase R$ 4 mi
Todas as multas aplicadas, neste ano, dizem
respeito à qualidade da água distribuída pela
Cagece - 
FOTO: HELENE SANTOS
Insípida, inodora e incolor. São essas as características habitualmente atribuídas à água. No entanto, nem sempre todos esses elementos se fazem presentes no líquido fornecido para algumas localidades cearenses. Somente nos primeiros nove meses deste ano, a Agência Reguladora do Estado do Ceará (Arce) multou em mais de meio milhão de reais a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece).

Todos os 35 processos administrativos punitivos contra a Cagece, que é responsável por prestar serviços de distribuição de água e esgotamento em 151 dos 184 municípios do Estado, neste ano, referem-se à qualidade da água. O quantitativo de infrações desta natureza saltou de 23, ao longo de todo o ano passado, para 35, até setembro de 2019.

O coordenador de Saneamento Básico da Arce, Geraldo Basílio, esclarece que "as multas desta natureza avaliam o fornecimento de água fora dos padrões de potabilidade estabelecidos pela legislação". O controle e a qualidade da água são definidos pelo Ministério da Saúde por meio de portaria que especifica os padrões mínimos de potabilidade, além da sua quantidade e frequência. Os critérios levados em conta são turbidez, coliformes totais e cloro residual livre apresentados nas amostras. O químico industrial e doutor em Geologia, Carlos Márcio Soares, alerta que a água abaixo dos parâmetros do Ministério da Saúde pode causar problemas intestinais, gastroenterite, náuseas, dentre outras complicações, como irritação nos olhos.

O estudante de Engenharia de Software, Gabriel Maia, residente no Vale do Jaguaribe, conta que no início do ano teve problemas no olho causado pelo excesso de cloro na água que chega ao chuveiro de sua casa. "Por volta de maio, após um banho, meu olho começou a coçar muito e ficar muito vermelho. Fui ao oftalmologista, e ele falou que o motivo era o contato com o cloro da água", relata o estudante, que mora no Centro de Jaguaruana. Carlos Márcio pontua que estas complicações são causadas pela presença de "bactérias do grupo coliformes totais e cloro". Gabriel alega que, por diversas vezes, ainda sente "o cheiro forte de cloro na água".

Multas milionárias

Além da qualidade da água, a Arce fiscaliza outros aspectos, como provisão dos serviços, que analisa fatores como não atender à solicitação do usuário de conexão à rede pública; gestão comercial e faturamento, que alerta, entre outras coisas, quando o serviço é prestado sem contrato ou com contrato em desacordo com o exigido pela Lei; e proteção ambiental, relacionada às questões ambientais. Juntos, os quatro fatores renderam 77 multas à Cagece ao longo de 2018, beirando os R$ 800 mil.
LEIA MAIS EM...

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK