PROCURANDO POR ALGO?

terça-feira, 21 de abril de 2020

Quem tem auxílio emergencial negado pode fazer nova solicitação

Caixa garante ter feito atualização em suas plataformas para acesso do cidadão e fazer a contestação para requerer novamente o benefício
Brasilia em 07 de abril de 2020, Lançamento do
 aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial (Foto:
Marcello Casal 
Jr/Agência Brasil)
O cidadão que tiver o auxílio emergencial de R$ 600,00 negado pode agora contestar o resultado da análise e pedir novamente o benefício diretamente pelo aplicativo ou site do programa. A atualização nas plataformas foi feita a partir desta segunda-feira (20), informou a Caixa Econômica Federal.

No aplicativo ou no site, quem receber o aviso de "benefício não aprovado" pode verificar o motivo e fazer uma contestação. Se o aviso for de "dados inconclusivos", o solicitante pode fazer logo a correção das informações e entrar com nova solicitação, de acordo com a Caixa.

A responsável por informar o motivo do auxílio emergencial não ter sido aprovado é a Dataprev, estatal federal de tecnologia que analisa os dados informados pelo solicitante. O resultado é depois homologado pelo Ministério da Cidadania.

Para ter direito ao auxílio é preciso atender aos critérios estabelecidos pela legislação, como não ter emprego formal, não receber outro benefício do governo (com exceção do Bolsa Família), ter renda familiar mensal maior que  R$ 3.135,00 ou R$ 522,50 per capita (por pessoa), entre outros. As condições completas são descritas no site do programa (https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio ).

Segundo a Caixa, responsável pelos pagamentos, as principais inconsistências nos dados informados pelos solicitantes são:
• marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro;
• falta de inserção da informação de sexo;
• inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;
• divergência de cadastramento entre membros da mesma família;
• inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

CadÚnico

Os trabalhadores informais que possuem Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CadÚnico, tem sua elegibilidade para receber o auxílio emergencial analisada automaticamente pela Dataprev.

Nesse caso, se tiver o auxílio negado mesmo acreditando ter direito ao benefício, o trabalhador também pode recorrer diretamente no aplicativo do auxílio emergencial ou no site do programa, informou a Caixa.

Os maiores animais da Terra

@Reprodução / Youtube
Qual é o maior animal que você já viu? Um elefante? Uma girafa? Fique sabendo que, há milhões de anos atrás, o nosso mundo era habitado por criaturas gigantescas, capazes de te devorar com apenas uma mordida. Que animais eram esses? A gente mostra para vocês neste vídeo.
CONFIRA O VÍDEO AQUI

Recuperados da covid-19 se aproximam de 23 mil no Brasil

Taxa de recuperação da doença está em 56,7%, diz Ministério da Saúde
@
O Brasil registrou, até segunda-feira (20), 22.991 pessoas recuperadas da covid-19, segundo dados do Ministério da Saúde. O número foi divulgado sem detalhamento por estado.
A taxa nacional de recuperação da doença encontra-se em 56,7%, uma pequena melhora em relação aos 55% registrados em 14 de abril, quando o ministério começou a divulgar o número de recuperados. O país tem 40.581 pacientes diagnosticados, segundo os dados divulgados ontem (20).
O ministério contabiliza como recuperado o paciente com confirmação do novo coronavírus que recebeu alta hospitalar após internação e também os confirmados sem internação, mas que deixaram de apresentar sintomas depois de ficar em casa.
Enquanto a taxa de recuperação se mantém acima da metade dos casos, o índice de letalidade encontra-se em 6,3% dos casos confirmados. No Brasil, foram registradas 2.575 mortes até ontem (20).
As hospitalizações por covid-19 chegaram a 8.318. O total de pessoas internadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em investigação totalizaram 42.817. Outras 15.752 foram denominadas SRAG “não especificado”. 
Ontem (20), o ministro da Saúde, Nelson Teich, anunciou ter aumentado para 46 milhões o número de testes que a pasta pretende comprar para ampliar os diagnósticos.  
“Isso é importante para entender a doença, a evolução e fazer um planejamento para revisão do distanciamento social”, disse Teich, em vídeo divulgado pela assessoria do Ministério da Saúde. 

Carcarás se adaptaram ao Plano Piloto de Lúcio Costa

Animal está no topo da cadeia alimentar dos pássaros do Cerrado
@
POR AGÊNCIA BRASIL
O arquiteto e urbanista Lúcio Costa dizia que “o céu é o mar de Brasília”. A imensidão azul sobre a cidade que vê seus horizontes costuma chamar a atenção de moradores e visitantes. Conforme a estação do ano e a hora do dia, a dispersão da luz no ar pode mudar a cor do firmamento para amarelo, laranja, rosa, lilás e até violeta.
Pairam sob essa aquarela, corujas, papagaios, araras, curicacas, tucanos, urubus e carcarás, além de uma fauna extensa de passarinhos. Nessa revoada brasiliense, os carcarás, com menos de um quilo de peso, altura de até 70 cm e 1,20 metro de envergadura com as asas abertas, são os reis. Estão no topo da cadeia alimentar do bando.
Vivem bem na capital federal, sem se preocupar com nenhum predador natural, como as jaguatiricas, e, muito menos, com disputas políticas, decisões econômicas ou questão sociais da agenda brasiliense. Sem estresse, não atacam nenhuma pessoa.
Estão adaptados à condição urbana porque são onívoros, ou seja, comem de tudo: fruta no pé dos diversos pomares plantados na cidade, ovos de passarinho, espécies menores de aves como os abundantes pombos, ratos, carniças e até lixo doméstico.

Aumento do consumo de álcool preocupa no período de confinamento

Especialistas criam serviço on-line de atendimento durante a pandemia
@
POR AGÊNCIA BRASIL
O aumento do consumo de álcool durante o período de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus é preocupante, alertou, em entrevista à Agência Brasil, a presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead), Renata Brasil Araújo.
Ela esclarece que, inicialmente, a bebida parece trazer euforia, mas que, depois, diminui a ativação do freio do cérebro, chamado de lobo pré-frontal. As pessoas ficam com efeitos de mais sedação, mas um efeito colateral é o aumento da impulsividade. E ficando sem freio, pode ocorrer um aumento de violência doméstica e de feminicídio, porque a pessoa está trancada em casa.
“Como essa parte do freio do cérebro não está funcionando muito bem, a pessoa fica mais impulsiva, mais intolerante. Se houver intervenção de alguém da família no sentido de parar de beber, isso por si só já gera um descontentamento e uma reação”, advertiu a presidente da Abead.
Há uma semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também manifestou a sua preocupação. “O álcool não protege contra a covid-19, o acesso deve ser restrito durante o confinamento” é o título de um artigo que a entidade publicou em seu endereço oficial na internet.
Renata Brasil Araújo destacou que o crescimento do consumo de álcool doméstico acontece em um momento de isolamento, quando o acesso ao tratamento de dependências químicas está mais difícil. Além disso, segundo ela, algumas pessoas que aumentaram o consumo da bebida durante a reclusão podem manter esse hábito pós-quarentena e, a longo prazo, isso pode vir a se transformar em uma dependência, que tem um componente biopsicossocial.
“Aquelas pessoas que já têm uma vulnerabilidade biológica e uma predisposição genética para o alcoolismo, junto com uma capacidade emocional mais frágil estão mais suscetíveis a seguirem bebendo após a quarentena e se transformarem em dependentes do álcool, sim”, analisou.

Atendimento on-line

Preocupada com o crescimento do consumo do álcool no país, a Abead lançou a campanha #sejaluz, para mostrar coisas positivas na internet, como os botecos virtuais, e orientando a respeito dos cuidados não apenas com o álcool, mas com o tabaco e outras drogas nessa fase de quarentena. “Porque é algo que a gente, provavelmente, vai pagar um custo para isso” acrescenta Renata Brasil Araújo.

Brasília faz 60 anos, encontra novas vocações, mas mantém desigualdade

Qualidade de vida, baixa violência e alta renda ainda são atrativos
@
POR AGÊNCIA BRASIL
A claridade de Brasília fechou a retina dos olhos verdes do garoto Will, com 14 anos incompletos. Era 13 de janeiro de 1959, ele fazia sua primeira viagem de avião, vindo de São Paulo para morar na nova capital federal. O voo era da Viação Aérea de São Paulo (Vasp), uma das seis companhias que mantinham rotas regulares para Brasília, como a Loide Aéreo Nacional, Real Aerovias, Paraense, Sadia, Cruzeiro do Sul, todas extintas.

De dentro do avião teve a primeira miragem da amplidão do cerrado, no qual Juscelino Kubistchek decidiu criar a cidade. Mesmo lugar onde, 60 anos mais tarde, Wilson Pereira Rodrigues, agora com 74 anos, ainda vive com sua família e trabalha. Ele tem três filhos (um homem e duas mulheres) e duas netas. Todos brasilienses.

Como consultar e regularizar a situação de seu título de eleitor

O site do Tribunal Superior Eleitoral permite que você consulte e regularize a situação de seu título de eleitor pela internet. Saiba como é feito o processo!
@
POR OLHAR DIGITAL
título de eleitor é um documento importante para o cidadão brasileiro, que é necessário, por exemplo, para obter o seu passaporte, fazer a inscrição em colégios, faculdades e outras atividades. Em novembro de 2017, inclusive, o documento ganhou a sua versão digital, podendo ser utilizado através de celulares parar facilitar a vida das pessoas.
CONTINUE LENDO NO LINK ABAIXO:
https://olhardigital.com.br/dicas_e_tutoriais/noticia/como-consultar-e-regularizar-a-situacao-de-seu-titulo-de-eleitor/99680

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
AVISO IMPORTANTE!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. EMAIL: josenidelima@bol.com.br FAVOR INFORMAR O LINK