PROCURANDO POR ALGO?

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Mulher pede divórcio só pra poder sair do grupo da família do marido

Os casos de briga e até divórcio por causa de grupos de WhatsApp têm aumentando muito nos últimos anos. Ao contrário do que todos pensam, não é o grupo de amigos mandando vídeos pornôs que mais irritam os parceiros. Os grupos de família têm sido o maior problema nos relacionamentos.

É o caso de Ana Alzira, que se separou do marido porque não aguentava mais os compartilhamentos da sogra no grupo. Além da sogra, a cunhada postava mais de cem fotos por dia do filho recém nascido e pior que isso era que sempre tinha alguém perguntando se a criança não estava cm frio, relatou Ana na sua audiência de divórcio.

Sair do grupo da família no WhatsApp tem sido a maior causa de prazer nos brasileiros nos últimos tempos

Urrar na academia não acelera crescimento muscular

BLOG DO PARCEIRO: Urrar na academia não acelera crescimento muscular...
Um levantamento do Nupal (Núcleo de Pesquisas da América Latina) mostrou que urrar como um urso tendo orgasmos não afeta o resultado dos exercícios físicos.
Pesquisadores acompanharam 1200 praticantes de musculação durante seis meses. Eles constataram que aqueles que urraram durante as aulas tiveram o mesmo resultado dos que malharam quietos.
Os cientistas não conseguiram descobrir porque as mulheres usam meião para malhar. Também não foi esclarecido porque as pessoas que vão para a academia dizem que vão treinar.

Dicas e Receitas Para Acabar Com a Dor de Cabeça

Saiba mais sobre as causas de diferentes tipos de dores de cabeça. Veja também dicas e receitas naturais para combater o problema com chás que incluem Camomila, Calendula, Capim Limão, Laranja, Anis e várias outras ervas benéficas. 
Atividade física e boa alimentação são
ótimos para evitar a dor de cabeça
Ter dor de cabeça é bastante comum, mas isso não quer dizer que o problema deva ser tratado como algo corriqueiro. Em muitos casos, a dor é apenas um sintoma de algo mais grave. Por isso, é fundamental procurar um especialista sempre que as dores de cabeça forem constantes ou muito fortes.

De modo geral, a dor de cabeça é comumente causada por dois fatores principais: tensão ou má digestão. Dias muitos cansativos, barulho, insônia e outras causas podem levar a uma dor de cabeça tensional, geralmente localizada na região das têmporas. A má alimentação ou ingestão de comida em excesso também podem causar dores de cabeça, às vezes acompanhada de náusea.

Outra causa comum das dores de cabeça é a enxaqueca, que geralmente ocorre devido a fatores genéticos hereditários. Nos episódios de enxaqueca, a dor de cabeça costuma acontecer em um dos lados do crânio e é pulsante. Ela costuma ser acompanhada de outros sintomas, como náusea, fotofobia, vômitos, tontura e irritação. Se você costuma sofrer com a enxaqueca, sugerimos a leitura do artigo Enxaqueca e Alimentação, que mostra como o cardápio pode interferir nas dores de cabeça.

Evite os Analgésicos

Como as dores de cabeça são comuns, as pessoas têm o péssimo hábito de se automedicarem. Os analgésicos são os mais utilizados, porque aliviam a dor em pouco tempo, mas há um sério problema no uso desse tipo de medicação.

O Cortiço, de Aluísio de Azevedo

POR CANAL DO ENSINO - Postado por: 
Considerada a obra mais importante do naturalismo brasileiro, O Cortiço, de Aluísio de Azevedo, é um livro de alegoria do século XIX, lançado em 1890, tendo uma ótima aceitação popular ao mesmo tempo em que também sofreu algumas críticas devido ao seu conteúdo, digamos, “mais adulto” e incomum para os romances da época.
Isso porque o naturalismo, mesmo estando na moda na Europa, no Brasil ainda era um movimento literário novo, carregando consigo a doutrina naturalista ao narrar como é a vida das pessoas em uma habitação coletiva (cortiço) de pessoas mais pobres na cidade do Rio de Janeiro.
Devido a uma caracterização fiel da sociedade carioca da época, englobando diversos problemas e conflitos presentes no cotidiano dessas pessoas e em suas relações com os meios, O Cortiço pode ser considerado uma obra permeada pelo contexto histórico, sendo uma ótima forma de se entender melhor o Brasil do Século XIX em diversos aspectos.
Através dessa habitação coletiva, o cenário que praticamente também se traduz em um personagem na própria narrativa, esse romance difunde as ideias naturalistas que se baseiam nas influências do meio, das raças, dos momentos históricos e dos próprios instintos humanos como influenciador de comportamentos da psique dos personagens.
João Romão foi, dos treze aos vinte e cinco anos, empregado de um vendeiro que enriqueceu entre as quatro paredes de uma suja e obscura taverna nos refolhos do bairro do Botafogo; e tanto economizou do pouco que ganhara nessa dúzia de anos, que, ao retirar-se o patrão para a terra, lhe deixou, em pagamento de ordenados vencidos, nem só a venda com o que estava dentro, como ainda um conto e quinhentos em dinheiro.”

Cinco em cada dez brasileiros não usam senha para proteger o celular

(Foto: reprodução)
A maioria dos brasileiros ainda não protege seus dispositivos móveis. Um relatório, divulgado pela empresa de segurança Kaspersky Lab, revela que 53% dos donos de celular no Brasil não usam senhas para bloquear os aparelhos e apenas 16% criptografam seus arquivos e pastas para evitar o acesso não autorizado.
Além disso, menos da metade (47%) dos entrevistados faz backup de seus dados e somente 21% usam recursos antirroubo em seus dispositivos. Isso significa que, na perda ou roubo do celular, a pessoa fica impossibilitada de acessar as suas informações remotamente.
Como os celulares estão cada vez mais presentes na vida das pessoas, a perda do aparelho por levar a um roubo de dados. Por exemplo, 43% dos brasileiros usam seus smartphones para fazer transações em bancos online, 62% usam seus smartphones regularmente para acessar suas contas pessoais de e-mail e 64% para atividades em mídias sociais, sendo que todas essas atividades envolvem uma enorme quantidade de dados sigilosos.

TSE assina memorando com Facebook e Google contra fake news

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) assinou hoje (28) um memorando de entendimento com o Facebook e o Google para evitar a proliferação de notícias falsas (fake news) no período eleitoral.


As empresas se comprometeram a “combater a desinformação gerada por terceiros”, observando para isso o cumprimento a normas internacionais de direitos humanos e às boas práticas da indústria.

O documento de apenas duas páginas, no entanto, não detalha nenhuma iniciativa nesse sentido, dizendo apenas que o combate se dará por meio de “prevenção de práticas dolosas de desinformação, projetos de fomento à educação digital e iniciativas que promovam o jornalismo de qualidade”.

Outro memorando foi assinado também com a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), com o mesmo objetivo de combater as fake news.

O presidente do TSE, ministro Luiz Fux, participou de solenidade em que os documentos foram assinados nesta quinta-feira. No início deste mês, ele firmou acordo semelhante com representantes de partidos políticos, que se comprometeram a “manter um ambiente eleitoral imune de disseminação de notícias falsas”.
Com TSE

Leite Vegetal: Veja quais são os Benefícios e as Receitas fáceis

Conheça mais sobre os benefícios dos leites vegetais para a nossa saúde. Aprenda também a preparar os leites de linhaça, arroz, aveia e castanhas do Pará. Os leites vegetais são ótimas opções para quem tem problemas relacionados ao consumo do leite de vaca. Saiba mais sobre essas bebidas e aprenda a preparar 4 receitas caseiras. 
Os leites vegetais podem ser feitos
com diferentes ingredientes
O consumo do leite de vaca por nós humanos é bastante questionado no meio científico. Durante muito tempo acreditou-se que o alimento era altamente nutritivo e bastante saudável, porém vários estudos mostram que não é bem assim. Na opinião de diferentes especialistas, o nosso organismo não está preparado para digerir bem o leite e os seus derivados.

Além disso, outro problema levantado são as substâncias encontradas no leite por causa da alimentação dos bovinos. Com uso de produtos químico nas plantações, muitas substâncias tóxicas acabam chegando ao leite da vaca. Além disso, os animais são criados como hormônios e outros medicamentos que também podem interferir em nossa saúde.

Todos esses argumentos são polêmicos, não havendo consenso entre os cientistas a respeito dos benefícios e malefícios do leite para a nossa saúde. No entanto, muitas pessoas têm interesse em reduzir o consumo de laticínios, seja por causa de alguma doença, como a intolerância à lactose, ou mesmo por empatia com os animais criados para esse fim.

Pensando nisso, preparamos esse artigo com informações e receitas de leites vegetais, que podem ser feitos em casa e oferecem bons  benefícios para a saúde.

O que são leites vegetais?

A palavra leite, nesse caso, é usada apenas figurativamente. Os chamados “leites vegetais” são bebidas feitas a partir de alimentos de origem vegetal, apresentando cor, textura e sabor semelhante ao do leite de vaca. Por isso, eles são usados como substitutos do leite em diferentes receitas.

O leite de soja, que se tornou bastante conhecido, é uma dessas opções. Ele é comumente comercializado nos mercados mas também pode ser feito em casa. Porém, existem diferentes alimentos que podem ser usados no preparo dessas bebidas, agradando diferentes paladares. Como a transição para o leite vegetal pode ser um pouco difícil para algumas pessoas, escolher o vegetal com sabor mais agradável pode ajudar no processo.

Com relação aos benefícios trazidos pelos leites vegetais, devemos destacar que eles sempre contam com os nutrientes do alimento de que foram preparados. Também vale destacar que as bebidas são mais naturais, porque não possuem muitos químicos e conservantes. Para aproveitar ainda mais os benefícios, é possível usar ingredientes orgânicos na produção do leite caseiro.
LEIA MAIS EM...

Entidades brasileiras pressionam Senado por Lei de Proteção de Dados

(Foto: pxhere)
Um grupo de entidades brasileiras entregou, nesta última terça-feira, uma carta pedindo aos senadores rapidez na aprovação de um dos projetos de lei de proteção a dados pessoais que tramitam na casa. O texto defende o projeto da Câmara dos Deputados, o PLC 53/2018 (originado do PL 4060/2012), e é assinado por órgãos como a Associação Brasileiras das Empresas de Software (Abes), a Associação Brasileiras das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) e a Coalizão Direitos na Rede, da qual faz parte o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).
As organizações acreditam que uma lei “clara e principiológica” é essencial para “catalisar a competitividade” no país. Segundo a carta, o Senado tem a oportunidade de “conferir protagonismo ao Brasil, em termos de legislação de dados” e até de criar um ambiente de negócios seguro que “potencialize a atração e materialização de investimentos na ordem de R$ 250 bilhões”, de acordo com dados da Brasscom.
Como explicou a advogada Patrícia Peck em entrevista recente ao Olhar Digital, o projeto de lei defendido pelas entidades é “praticamente um espelho da GDPR”. Ele é praticamente idêntico ao PLS 330/2013 proposto pelo Senado – uma versão mais “light” da legislação europeia, também em tramitação na casa – em termos de definição de dados pessoais e consentimento no uso de informações, mas é mais ambicioso em termos de regulação.
Em vez de prever que a nova lei fique sob tutela de um órgão já existente, o projeto da Câmara propõe criar um novo órgão regulador. A chamada Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) seria vinculada ao Ministério da Justiça, e é tida como essencial pelas entidades que assinam a carta enviada ao Senado.
No entanto, o PL dos deputados não é muito generoso quando o assunto é prazo de adaptação, assim como o dos senadores. Os textos falam em dar 90 ou 120 dias, respectivamente, para as empresas que atuam no Brasil se adaptem. É nesse de três meses que o órgão regulador proposto pelo projeto da Câmara também precisaria ser criado. Para efeito de comparação, as empresas na Europa tiveram dois anos para se adaptar ao GDPR.

6 Coisas que Você NUNCA DEVE Fazer Depois de Comer!

..
Comer é considerado um dos prazeres da vida, porém, é também nesse momento que podemos escolher bons alimentos que vão nutrir nosso organismo e nos auxiliar a manter uma boa saúde. Mas em se tratando de fazer uma boa refeição, nem tudo se resume as escolhas de alimentos. Alguns hábitos que costumamos fazer após as refeições podem ter um impacto negativo no nosso organismo. No vídeo de hoje iremos mostrar 6 coisas que você não deve fazer após uma refeição:
LEIA MAIS EM...

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
Aviso Importante!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: joseni_delima@hotmail.com FAVOR INFORMAR O LINK