PROCURANDO POR ALGO?

sábado, 30 de novembro de 2013

Gasolina e diesel ficam ainda mais caros a partir de hoje

PETROBRAS AUTORIZADA

Gasolina e diesel ficam ainda mais caros a partir de hoje

30.11.2013

O impacto imediato do reajuste de preços da gasolina na inflação poderá ficar entre 0,08 e 0,10 ponto porcentual
Rio/Fortaleza. Após semanas de muita expectativa e forte oscilação das ações da Petrobras, a estatal anunciou ontem à noite ter aprovado uma política de reajuste de preços para os dois principais combustíveis e ainda divulgou um aumento imediato para diesel (8%) e gasolina (4%) nas refinarias. No entanto, tanto a política quanto o aumento ficaram aquém do que a Petrobras pedia e do que o mercado esperava. No Ceará, os percentuais devem chegar ainda maiores às bombas, de acordo com o Sindicato dos Revendedores de Combustível do Estado, o Sindipostos. Procurado, o assessor econômico da entidade, Antônio José Costa, foi categórico ao afirmar: "o aumento vai ser em cima do preço da bomba que tem hoje (ontem)", disse.

Com a notícia da majoração na refinaria a partir de hoje, proprietários de veículos foram aos postos ontem tentando economizar Fotos: Tuno Vieira
Sem amortecimento
A declaração acaba com as esperanças de que o reajuste na bomba no Ceará não chegue aos 4% ou aos 8% repassados pela Petrobras aos distribuidores. Isso porque, já na semana passada os postos em Fortaleza promoveram uma onda de reajustes que chegou até R$ 0,24 no preço do litro da gasolina. Sem amortecimento do reajuste da estatal pelos empresários cearenses e com o litro custando hoje, em média, R$ 2,80, o fortalezense pode se deparar com preços perto de R$ 3,00 para o litro do combustível.

"Cada posto vai fazer o seu aumento, assim como cada distribuidora. E a gente só vai saber quanto realmente aumentará quando as primeiras notas (fiscais) das distribuidoras forem emitidas para os postos daqui", ressaltou Antônio José.

População se precavê

Os boatos de um possível aumento nos preços de combustíveis pela Petrobras que rondavam o Brasil nos últimos dias e acabaram tornando-se verdade ontem também mexeram no cotidiano dos donos de automóveis da Capital cearense. Em alguns postos visitados pela reportagem à noite, a movimentação chegou a aumentar em até 60%.


"Muita gente já sabia (do reajuste) então vieram para encher o tanque", diagnosticou o frentista Mardônio Lourenço.

E como o assessor econômico do Sindipostos já havia apontado, o mercado é livre. Para o empresário Marcelo Ferreira, por exemplo, "a gasolina já estava defasada no Ceará, devia ter aumentado há mais tempo. E, como ainda tem gasolina no estoque, dependendo do movimento, o reajuste pode ser feito na segunda (2) ou terça (3)".

Edição do último dia 22 deste mês do Diário mostrou aumento promovido por postos da Capital uma semana antes da liberação para a Petrobras
Fazenda queria mais


"Infelizmente, o mercado vai ficar frustrado, o governo decepcionou. Prevaleceu o controle da inflação, foi uma vitória do ministro da Fazenda (Guido Mantega, também presidente do Conselho de Administração da Petrobras)", disse o analista do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) Adriano Pires.

O impacto imediato do reajuste de preços da gasolina e do diesel na inflação poderá ficar entre 0,08 e 0,10 ponto porcentual, calcula o economista André Braz, do Ibre/FGV, se o repasse para o consumidor final ficar em torno de 2% a 2,5%, como calcula a consultoria LCA.

Ontem, a expectativa do mercado financeiro em torno do aumento dos combustíveis levou as ações da estatal a subir 6% na Bolsa de Valores de São Paulo.

Endividamento máximo
O método de reajuste gerou embates acalorados entre Petrobras e governo nas últimas semanas. De um lado, a presidente da estatal, Graça Foster, e sua diretoria; de outro Mantega e parte dos conselheiros.

De avanço, a Petrobras se comprometeu, pela primeira vez em mais de dez anos, com um prazo (24 meses) para se chegar no nível de endividamento máximo imposto internamente. A empresa também se compromete com a convergência dos preços no Brasil com as referências internacionais em um "prazo compatível".

Nas entrelinhas, ela mostra com isso que a paridade de preços com o mercado internacional precisará ser atingida bem antes dos dois anos estabelecidos para adequar o nível de endividamento. Além disso, o conselho se comprometeu a monitorar a implementação e a eficácia da política.

Sem metodologia de cálculo

Mas, de resto, o anúncio deixou a desejar. A política geral foi divulgada, mas a metodologia de cálculo, não. A reserva pode frustrar o mercado em um primeiro momento, mas foi uma forma que o governo encontrou para não gerar gatilho automático para o reajuste.

A alta também ficou abaixo do esperado pelo mercado, que previa entre 5% e 6% para gasolina e 10% para diesel.

A diferença entre o preço que a Petrobras paga para importar combustíveis e o que vende para abastecer o mercado interno gera prejuízos bilionários para a companhia desde 2011.

O CBIE estima que a defasagem esteja em 15% para a gasolina e 20% para o diesel.

Divergência

A divergência ganhou força depois que a companhia divulgou fato relevante anunciando que sua diretoria aprovara uma metodologia de precificação, jogando sua apreciação ao conselho.

O documento foi divulgado horas depois de uma reunião de conselho, em 25 de outubro, e teria surpreendido o governo, que preferiria um debate interno de forma a evitar a pressão do mercado por um reajuste. 


FONTE:
DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
AVISO IMPORTANTE!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. EMAIL: josenidelima@bol.com.br FAVOR INFORMAR O LINK