PROCURANDO POR ALGO?

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Bebidas energéticas


© Equipe Editorial Bibliomed
Neste Artigo:
As bebidas energéticas se tornaram populares por darem aquela energia extra para quem está cansado e, que por algum motivo, precisa ficar alerta e ativo. Porém, essas bebidas podem atingir esse objetivo trazendo riscos para o corpo. Leia mais sobre os energéticos e veja os efeitos que eles podem ter no organismo.
Os energéticos são compostos de diversas substâncias, mas algumas são recorrentes, estando presentes na grande maioria das marcas. As substâncias mais comuns são:
  • Cafeína
  • Açúcar
  • Guaraná
  • Cacau
  • Vitaminas B
  • Ervas - como o ginseng e o alcaçuz
Organismos diferentes reagem de formas distintas à substâncias, mas alguns efeitos colaterais podem ser esperados, afetando a maioria dos consumidores dos energéticos:
  • Aumento na taxa de batimento cardíaco
  • Palpitações e irregularidade de batimento cardíaco
  • Aumento da taxa de pressão sanguínea
  • Insônia e outras perturbações de sono
  • Aumento na produção de urina
  • Hiperglicemia
Os efeitos descritos acima podem ser extremamente prejudiciais ao corpo. Devido aos ingredientes presentes nos energéticos e as interações entre eles as organizações que regulamentam produtos como esses aconselham caução e atenção extra ao seu consumo.
A interação entre os energéticos e a cafeína é extremamente perigosa. De acordo com um estudo desenvolvido na Weil Cornell Medical College (nos Estados Unidos), bebidas cafeínadas foram associadas a diversas mortes inesperadas em pessoas aparentemente saudáveis. Essas bebidas são especialmente danosas porque a cafeína pode afetar indícios sensoriais que a pessoa tem para determinar seu nível de intoxicação, impedindo que ela avalie sua situação corretamente. Como a quantidade da substância presente nos energéticos nem sempre é claramente descrita, pode ocorrer a overdose acidental de cafeína, causando doenças e até mesmo o óbito.
Uma tendência que cada dia ganha mais força é o uso de energéticos com álcool. Para evitar o sono e aproveitar as festas ao máximo, os energéticos são misturados com diversas bebidas que podem aumentar as chances de que o produto cause danos ao organismo.
O álcool em si atrapalha a capacidade de julgamento de quem o consome, prejudicando o funcionamento neurocognitivo e impedindo que a pessoa reconheça sua intoxicação. Além disso, ele aumenta as chances de comportamentos de risco. Assim, o uso da mistura de energéticos e bebidas alcoólicas está associado a piores consequências de álcool.  De acordo com uma pesquisa feita na Universidade de Boston (EUA), estudantes que consumiram essa mistura tinham mais chances de passarem por diversas situações negativas, como sofrerem ou realizarem abuso sexual, pegarem carona com um motorista intoxicado, sofrerem um acidente motorizado relacionado ao álcool ou precisarem de tratamentos médicos.
Pais e educadores devem estar atentos ao consumo dos energéticos por jovens. Crianças são especialmente mais vulneráveis aos danos causados pela cafeína e não devem consumir mais do que 100 mg da substância por dia. Por isso, adultos devem monitorar o consumo de bebidas cafeínadas por menores de idade e explicar os perigos que elas oferecem.
Para adultos, a quantidade limite de consumo diário de cafeína é 500 mg. Porém, indivíduos que sofrem de pressão alta, problemas cardíacos, problemas de sono ou que tomam medicamentos devem estar ainda mais atentos à quantidade da substância que consomem. Idosos devem ser ainda mais cuidadosos, já que eles podem ser mais sensíveis a grandes quantidades de cafeína.
Apesar de as bebidas energéticas serem regulamentadas por órgãos especializados e vendidas sem restrições, é importante saber que eles podem afetar pessoas diferentes de formas diferentes. Ao consumir um energético, esteja atento aos ingredientes descritos e às quantidades determinadas na embalagem. Em caso de dúvida ou de uma reação adversa, um médico deve ser consultado para que não ocorram danos ao corpo do consumidor.
Fonte: JAMA – The Journal of the American Medical Association -http://jama.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=1487122#qundefined
JONATHAN, Howland. DAMARIS, J. Rohsenow. Risks of Energy Drinks Mixed With Alcohol. JAMA. 2013;309(3):245-246, janeiro, 2013. Disponível em http://jama.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=1487124#qundefined, acessado em 22 de janeiro de 2013
SEPKOWITZ, Kent A. Energy Drinks and Caffeine-Related Adverse Effects. JAMA: 309(3):243-244, janeiro, 2013. Disponível emhttp://jama.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=1487123#qundefined, acessado em 18 de janeiro de 2013-01-24
Copyright © 2013 Bibliomed, 31 de janeiro de 2013.


FONTE: http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/5529/-1/bebidas-energeticas.html?newsid=548&utm_source=boletim_BS_548&utm_medium=email&utm_campaign=Artigo_Bebidas-Energeticas

Nenhum comentário:

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS

ADICIONE AOS SEUS FAVORITOS
AVISO IMPORTANTE!! Reconhecimento: Alguns textos e imagens contidas aqui neste Site são retiradas da internet, se por acaso você se deparar com algo que seja de sua autoria e não tiver seus créditos, entre em contato para que eu possa imediatamente retirar ou dar os devidos créditos. E-mail: josenidelima@gmail.com FAVOR INFORMAR O LINK